ÁfricaAMÉRICA LATINACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Chileno de Combate à Pobreza e à Fome apoia Zâmbia

O Fundo de Combate à Pobreza e à Fome do Chile, o Fondo Chile, passará a contribuir financeiramente com uma produtora de hortaliças em Sichili, na Zâmbia, país localizado no centro-sul do continente africano. O projeto objetiva fomentar a criação de hortas comunitárias na região, que servirão para fornecer alimentos frescos para famílias, escola e o hospital do local.

Zâmbia no mapa

De acordo com informações do Fondo Chile, a iniciativa de financiamento se baseia na promoção da cooperação e produção agrícola de forma ambientalmente sustentável, fortalecendo a economia local por meio da geração de renda. Fato notório é que o projeto será instalado em terras próximas ao colégio da região, permitindo que os alunos possam participar das atividades de plantio.

Em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), o Fundo de Combate à Pobreza e à Fome do Chile foi criado em 2012, a partir de uma parceria entre o Governo do país, por meio da Agência Chilena de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AGCID), e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Sua principal finalidade é incentivar financeiramente programas e projetos de Cooperação Sul-Sul, em conjunto com o compartilhamento das políticas públicas chilenas aos países parceiros.

Para além do Fundo, a AGCID tem atuação destacada na Sul global. Criada em 1990, ela se difere da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) por possuir independência institucional e patrimônio próprio. No ano passado (2016), a agência foi responsável pela execução de outras três iniciativas de cooperação bilateral na África, nas áreas de agricultura e segurança alimentar.

Acerca da Zâmbia, trata-se de um país com aproximadamente 15 milhões de habitantes, formados por diversos grupos étnicos que garantem a eles a diversidade de quase 70 línguas faladas dentro do território. O Estado vive boom populacional e econômico, a partir da taxa de natalidade elevada, baixa média etária e o Produto Interno Bruto (PIB) crescendo, em média, mais de 3% nos últimos três anos. Todavia, seus cidadãos ainda padecem pela baixa expectativa de vida, condicionada ao elevado índice de transmissão de AIDS, à subnutrição e à pobreza. Atualmente, mais da metade das pessoas seguem abaixo da linha da pobreza. 

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Crianças de Zâmbia” (Fonte):

http://fondochile.cl/en/centro-de-prensa/proyecto-huerto-comunitario-en-zambia-beneficiado-por-el-fondo-chile-contra-el-hambre-y-la-pobreza/

Imagem 2 Zâmbia no mapa” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:LocationZambia.svg

About author

Especialista em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB). Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Brasília (UCB), com experiência acadêmica internacional no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa. É coordenador do Café com Política e colunista político do Congresso em Foco. Foi estagiário-visitante da Câmara dos Deputados e trainee do Setor Político, Econômico e de Informação da Delegação da União Europeia no Brasil. Atuou também como pesquisador colaborador voluntário do Observatório Brasil e o Sul (OBS). É voluntário Departamento da Juventude da Cruz Vermelha Brasileira Brasília (CVBB).
Related posts
ECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

O mercado danês em tempos de Coronavírus

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU anuncia manter proteção a civis aos 10 anos da guerra na Síria

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Governo do Sudão compensa vítimas do ataque terrorista ao USS Cole

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Manufatura chinesa registra maior queda desde 2009 devido ao coronavírus

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by