América do NorteECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

General Motors relança modelo Blazer no México

De acordo com o Jornal El País, o porta-voz da montadora General Motors anunciou na última quinta-feira (dia 21 de junho) que voltará a vender o modelo Blazer da marca Chevrolet, dado o aumento da demanda por modelos do tipo crossover, e que será fabricado no México. A estratégia da multinacional vai em direção oposta às táticas do presidente Donald Trump, que está pressionando a indústria automotiva a aumentar a capacidade de produção nos Estados Unidos.

Trump International Hotel and Tower

Mary Barra, CEO da GM, sempre evita questões sobre a guerra tarifária iniciada pelo republicano com seus principais aliados comerciais e sobre as negociações para revisar o acordo de livre comércio com o Canadá e o México. O executivo simplesmente reitera repetidamente que está trabalhando com a Administração para modernizá-lo.

O modelo Blazer parou de ser produzido em 2005, quando o alto preço da gasolina começou a atingir as vendas de Veículos Utilitários Esportivos, ou SUVs, do inglês “Sport Utility Vehicle”. A decisão de ressuscitá-lo, segundo a empresa, já havia sido tomada antes da reação do presidente a anos atrás. A GM já foi criticada no passado por produzir carros no México que depois são vendidos nos EUA, aproveitando o baixo custo de mão-de-obra no outro lado da fronteira e que nenhuma taxa é paga.

O novo Blazer ocupará um lugar intermediário entre o Equinox e o Traverse, que também foram redesenhados para alcançar o público interessado em carros crossovers, ou seja, aqueles em que a base usada é a de um carro de passeio comum, mesclado com algumas características de um SUV. “É um mercado que continua a crescer e evoluir”, disse o presidente da GM para a América do Norte e chefe de negócios globais da Chevrolet, Alan Batey. Competirá com o Honda Pilot, o Ford Edge, o Nissan Murano ou o Hyundai Santa Fe.

The GM Renaissance Center em Detroit, Michigan

A GM estava concentrada na fabricação do SUV nas fábricas que opera nos EUA, porque a margem de lucro nesses veículos é muito

maior que a dos carros. O novo Blazer, que começou a ser produzido em 1969, é apresentado como uma das principais opções em tecnologia para atingir o público mais jovem.

Trump recentemente ordenou que o Departamento de Comércio examinasse os fluxos de comércio no segmento automotivo, com a intenção de aplicar uma tarifa de até 25%. O sindicato United Auto Workers descreveu a decisão da General Motors como decepcionante, e declarou: “tudo isso acontece quando os funcionários nos EUA estão sendo demitidos”. Entretanto, os fabricantes insistem que a produção no México é necessária para competir com rivais europeus e asiáticos.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Chevrolet Blazer” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Chevrolet_Blazer

Imagem 2Trump International Hotel and Tower” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Business_career_of_Donald_Trump

Imagem 3The GM Renaissance Center em Detroit, Michigan” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/General_Motors

                                                                   

About author

Mestrando em Direito Internacional pela Universidade Católica de Santos. Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Santos. Experiência acadêmica internacional na Cidade do México e atuação profissional no Consulado do Panamá e no Turismo Nuevo Mundo. Concluiu trabalho de extensão sobre Direitos Humanos e Refugiados, iniciação científica na área do Direito Internacional e da Política Externa Brasileira, sendo esta segunda iniciação premiada em terceiro lugar entre as áreas de ciências humanas e ciências sociais aplicadas da UniSantos em 2015. Atuou como Monitor na disciplina de Teoria das Relações Internacionais­I, durante o último semestre de 2015. Atualmente é monitor e pesquisador do Laboratório de Relações Internacionais da UniSantos em parceria com o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (LARI­IPECI), onde auxilia no desenvolvimento de projetos semestrais pautados por três frentes de pesquisa: 1) Direitos Humanos, Imigração e Refugiados; 2) Política Internacional e Integração Regional; e 3) Relações Internacionais, Cidades e Bens Culturais. Tem objetivo de seguir carreira acadêmica.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Especialistas independentes da ONU recomendam suspensão de Sanções a Estados durante a pandemia

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Avifavir: o antiviral russo contra a Covid-19

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Em meio à pandemia global, exportações chinesas apresentam aumento inesperado no mês de julho

NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by