AMÉRICA DO NORTEÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

[:pt]Governo de Donald Trump não descarta ataque militar preventivo contra a Coreia do Norte[:]

[:pt]

A política de paciência estratégica acabou”, afirmou o Secretário de Estado Norte-  Americano, Rex Tillerson, em relação as provocações da Coreia do Norte. O pronunciamento ocorreu na penúltima sexta-feira, 17 de março, e foi uma resposta aos lançamentos de quatro foguetes que ocorreram no início do ano até o princípio deste mês. Um dos lançamentos coincidiu com o início do treinamento militar que vem ocorrendo entre Estados Unidos (EUA) e Coreia do Sul, algo que Kim Jong-un vê como um verdadeiro pretexto para uma preparação de invasão ao seu país.

A princípio, o Secretário de Estado relatou que não espera que os conflitos entre ambos os países cheguem a ser resolvidos militarmente, no entanto, caso o país norte-coreano eleve seu potencial nuclear para um nível acima do proposto, novas atitudes deverão ser tomadas. Segundo ele, “Estamos estudando novas medidas diplomáticas, de segurança e econômicas” e findou seu discurso dizendo que todas as opções para alcançar este objetivo, serão consideradas.

O pronunciamento de Tillerson foi feito durante sua visita à zona desmilitarizada que separa as duas Coreias. Logo após seu duro posicionamento, um dos assuntos abordados pelo Secretário, que estava na presença do Ministro de Relações Exteriores sul-coreano, Yun Byung-se, foi voltado para a decepção acerca da perda de vinte anos dos esforços diplomáticos, destinados a intervir no programa de desarmamento nuclear de Pyongyang.

A partir disso, Washington não considerou um próximo diálogo até que Kim Jong-un cumpra o propósito de dar fim ao programa nuclear do país. Este posicionamento rígido estadunidense representa uma reviravolta da nova política norte-americana adotada por Donald Trump, o qual, por meio de sua conta no Twitter, acusou a Coreia do Norte de “enganar os EUA há anos”.

Em busca de aliados, Tillerson realizou uma visita à China no penúltimo sábado, dia 18 de março, para concretizar o que já havia sido comentado, que Pequim e Washington trabalharão juntos em prol de combater o programa nucelar da Coreia do Norte. Contudo, o Ministro de Relações Exteriores da China, Wang Yi, apresentou um discurso pacifista em relação a Pyongyang, dizendo que “a única maneira de resolver a crise na Coreia é através do diálogo”.

Contudo, ainda segundo Wang Yi, Pequim e Washington não descartaram a ideia de “encontrar uma forma para reativar as negociações e não abandonar a esperança de alcançar a paz”. Enquanto isso, a Coreia do Norte ainda mantém um posicionamento inflexível, que foi apresentado no mesmo sábado, dia 18, por um jornal de Pyongyang, Rondong Sinmun, o qual disse que “se os Estados Unidos fizerem o menor gesto para lançar um ataque preventivo contra nós, nossa força de ataque nuclear aniquilará o quartel-general dos provocadores e invasores”.

———————————————————————————————–                    

Imagem 1Tillerson em sua audiência de confirmação em 11 de janeiro de 2017” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Rex_Tillerson#/media/File:Rex_Tillerson_confirmation_hearing.jpg

Imagem 2Secretário de Estado Rex Tillerson aperta a mão com o presidente Xi Jinping na chegada em Pequim, 19 de março de 2017” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/China%E2%80%93United_States_relations#/media/File:President_Xi_Jinping_Greets_Secretary_Tillerson_(33139050550).jpg

[:]

About author

Graduada em Relações Internacionais (2014) pela Universidade da Amazônia – PA e profissionalmente atua com gestão de empresas. Áreas de interesse em pesquisa são em Marketing e mídias Internacionais, Conflitos bélicos e étnicos de interesse internacional, dentre outros.
Related posts
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataques a capacetes azuis no Mali

ECONOMIA INTERNACIONALEURÁSIANOTAS ANALÍTICAS

Rússia apresenta reservas financeiras maiores que saldos devedores

ÁSIAEURÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Rússia compete com China por influência no Sudeste Asiático

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

ONU HABITAT estimula a gestão dos resíduos nas cidades

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by