fbpx
AMÉRICA LATINADEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICASSociedade Internacional

[:pt]Governo mexicano intensifica guerra contra roubo de combustíveis no Estado de Puebla[:]

[:pt]

No dia 6 de maio, o Governador do Estado de Puebla, Antonio Gali Fayad, declarou que vai intensificar a segurança dos oleodutos da empresa estatal Petróleos Mexicanos (Pemex), os quais atravessam o Estado e são alvos de organizações criminosas. Tal ação de segurança será feita conjuntamente com o Governo Federal do país e envolve cerca de 2.500 militares, além de blindados e helicópteros, sendo uma resposta ao ataque de criminosos contra uma patrulha do Exército realizada no dia 4 de maio, que resultou na morte de quatro militares.

Após o ataque, o presidente Peña Nieto condenou o que chamou de “atos covardes contra o exército mexicano”, quando prestou condolências aos familiares das vítimas e prometeu punir os responsáveis, por meio de um plano estratégico de segurança que buscará acabar com o roubo de combustíveis no país.

Esta região do Estado de Puebla é conhecida como Triângulo Vermelho, uma das áreas mais violentas do país, dominada por diversas facções criminosas, como o cartel dos Zetas. De acordo com a estatal Pemex, durante 2016 foram detectadas aproximadamente 6.846 perfurações ilegais em todo o país, das quais 23% eram em Puebla, somando um prejuízo total de 11,6 milhões de pesos (aproximadamente 2 milhões de reais) para a empresa.

Conforme declaração de Sergio de la Vega, diretor da empresa petrolífera Gulf México e ex-funcionário da Pemex, “o roubo de combustível no México é um problema de Estado”, pois se trata de uma atividade antiga, que vêm sendo intensificada há 15 anos.

Além disso, Tomás Guevara Martínez, professor da Universidad Autónoma de Sinaloa (UAS), destaca que o roubo de combustíveis, em alguns casos, já substituiu o tráfico de drogas de algumas facções, também colocando em risco a vida de milhares de civis.

———————————————————————————————–                    

Fontes da Imagens:

Imagem 1 Soldados mexicanos durante uma confrontação em Michoacán, em agosto de 2007” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Mexican_Drug_War

Imagem 2Típico posto de gasolina da empresa estatal Pemex” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Pemex

Imagem 3Soldados mexicanos capturam suposto membro de cartel em Michoacán” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Mexican_Drug_War

[:]

About author

Mestrando em Direito Internacional pela Universidade Católica de Santos. Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Santos. Experiência acadêmica internacional na Cidade do México e atuação profissional no Consulado do Panamá e no Turismo Nuevo Mundo. Concluiu trabalho de extensão sobre Direitos Humanos e Refugiados, iniciação científica na área do Direito Internacional e da Política Externa Brasileira, sendo esta segunda iniciação premiada em terceiro lugar entre as áreas de ciências humanas e ciências sociais aplicadas da UniSantos em 2015. Atuou como Monitor na disciplina de Teoria das Relações Internacionais­I, durante o último semestre de 2015. Atualmente é monitor e pesquisador do Laboratório de Relações Internacionais da UniSantos em parceria com o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (LARI­IPECI), onde auxilia no desenvolvimento de projetos semestrais pautados por três frentes de pesquisa: 1) Direitos Humanos, Imigração e Refugiados; 2) Política Internacional e Integração Regional; e 3) Relações Internacionais, Cidades e Bens Culturais. Tem objetivo de seguir carreira acadêmica.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!