EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Irlanda do Norte e a questão da fronteira com a República da Irlanda, diante do Brexit

A Irlanda do Norte se encontra em uma situação bastante complicada. Trata-se de um estado britânico localizado ao norte da ilha da Irlanda, tendo ao Sul a República da Irlanda e a Leste a Grã-Bretanha, onde está a maior parte do que compõe o conhecido Reino Unido (União entre a própria Irlanda do Norte, Inglaterra, Escócia e País de Gales, além de outros Territórios Ultramarinos e Dependências da Coroa).

Mapa da Irlanda do Norte

Tal particularidade geográfica é o primeiro aspecto a ser considerado. Assim como Gibraltar, localizado ao Sul da Espanha, a Irlanda do Norte possui uma fronteira física, com a República da Irlanda, mas com uma diferença importante em relação ao enclave no território espanhol: não há barreiras nem postos de verificação ao longo dos quase 500 quilômetros que separam as duas Irlandas.

Isto é um dos principais pontos que tem dificultado a negociação entre o Governo britânico e a União Europeia (UE) no processo de saída do país do Bloco Econômico, em que se convencionou chamar de Brexit*, uma vez que o Acordo de Belfast**, também conhecido como Good Friday, permitiu que a região pudesse se recuperar de uma fase sombria da sua história, a qual ficou marcada pelos Troubles, conflito entre unionistas protestantes e nacionalistas católicos que deixou vários mortos naquele Estado.

Assembleia da Irlanda do Norte

O acordo firmado em 1998 instaurou um clima mais pacífico e mais integrado com a República da Irlanda, até porque esta última também faz parte da UE desde 1973, quando entrou na organização junto com o Reino Unido. Porém, com o Brexit, o retorno de uma fronteira rígida entre os países torna-se cada vez mais inevitável, na medida em que as negociações entre britânicos e os demais europeus não se concretizam, bem como o cenário de um “não acordo” se torna cada vez mais factível. Em outubro haverá um encontro chave entre os negociadores para decidir o futuro do Brexit.

Um atenuante para esta questão é o fato de que a Irlanda do Norte não possui um governo próprio desde janeiro do ano passado (2017). Devido à falta de acordo entre os principais partidos do país – Partido Unionista Democrático (DUP, do inglês Democratic Unionist Party), que também é o partido da Coalizão com o Governo britânico; e Sinn Féin, nacionalista, favorável à reunião das Irlandas – não existe uma liderança executiva no Parlamento local, ocasionando em uma dificuldade de orientar políticas e também de dialogar com Londres, mesmo com a DUP compondo o Governo britânico.

Em função disso, surgem rumores de que o retorno da fronteira rígida entre as Irlandas poderá causar uma nova onda de violência na região, além de outros crimes, como o contrabando. Portanto, a posição geográfica da Irlanda do Norte e a falta de uma liderança no Executivo, no atual momento político pelo qual passa o Reino Unido, podem desencadear em novos problemas sociais, como já foi visto no século passado. Nesse sentido, as observações de vários analistas apontam ser fundamental que o Governo britânico e a UE cheguem a um acordo para que a situação se estabilize não só na Irlanda do Norte, mas em todo o país, onde paira uma nuvem de incerteza sobre seu futuro.

———————————————————————————————–

Notas:

* Brexit: Diz respeito ao processo de saída do Reino Unido da União Europeia, iniciado em junho 2016 com um referendo atestando a decisão democrática pelo voto e que deve ser finalizado em dezembro de 2020, quando termina o período de transição estabelecido entre o Governo Britânico e a União Europeia para que a nova relação entre o país e a organização se estabeleça.

** Acordo de Belfast: Firmado em 1998 entre o Governo Britânico e as lideranças políticas e paramilitares locais com o intuito de acabar com as hostilidades no território da Irlanda do Norte e estabelecer um ambiente de diálogo entre a capital do país, Londres, e a capital local, Belfast, no nível político, de modo permanente.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Bandeiramapa da Irlanda do Norte” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Flag-map_of_Northern_Ireland.svg

Imagem 2Mapa da Irlanda do Norte” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Northern_Ireland.svg

Imagem 3Assembleia da Irlanda do Norte” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:NI_Assembly_chamber.png

                                                                                              

About author

Bacharel em Defesa e Gestão Estratégica Internacional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos da Escola de Guerra Naval (PPGEM/EGN). É pesquisador do Núcleo de Avaliação da Conjuntura, participando da produção do Boletim Geocorrente, ambos da mesma instituição. Suas principais áreas de interesse envolvem as políticas de Defesa do Reino Unido, com enfoque na Marinha; Brexit e movimentos separatistas europeus; questões marítimas globais; e Geopolítica.
Related posts
NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Laboratório da Samsung na Rússia na vanguarda dos “deepfake”

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Extinction Rebellion toma conta das ruas de Londres, em protesto pelo clima

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Peru sedia concurso mundial de azeite de oliva

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataques a capacetes azuis no Mali

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by