fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Japão: Corrida contra o tempo

O Governo japonês iniciou uma corrida contra o tempo. A movimentação tem por objetivo resolver os atritos diplomáticos entre seu país e a China antes que ocorra a mudança de poder neste país, que é a maior potência asiática da atualidade.

 

Desde que o Governo da cidade de Tokyo decidiu comprar e nacionalizar as ilhas de Senkaku (Diaoyu), as relações entre o Estado japonês e a China pioraram, afetando a diplomacia, a economia e o relacionamento os dois povos. O Governo federal nipônico havia solicitado que as autoridades de Tokyo não tomassem tal atitude devido as consequências que estariam por vir e foi o que ocorreu.

Assim como saiu numa publicação do jornal francês “Le Monde” (na versão impressa), citado pela mídia chinesa, o Japão está se isolando na Ásia. De acordo com o jornal, suas divergências com chineses, sul-coreanos e com Taiwan estão deixando o país à deriva, longe das principais potências regionais.

Conforme se depreende de vários artigos, o “Le Monde” vem acompanhando todo o processo, dando entender, contudo, que apóia o posicionamento chinês, como, por exemplo, ocorre no artigo intitulado “La Chine est propriétaire des îles Diaoyu et non le Japon”*.

Indiferente à repercussão do caso na imprensa internacional, do Japão está mais  preocupado com a mudança de poder na China, pois os nomes mais cogitados para substituir o atual presidente Hu Jintao e o premiê Wen Jiabao são Xi Jinping e Li Keqiang, respectivamente, conhecidos por serem mais “duros” em relação a temas regionais, principalmente quando envolvem China-Japão.

Ao longo das últimas duas semanas a “TV NHK” japonesa tem comentado sobre o assunto, sobre os problemas que possam atingir a economia do país e sobre a estabilidade regional caso o futuro líder chinês adote boicotes contra produtos japoneses e diminua o canal de comunicação entre ambos Governos.

———————–

[1] Imagem Fonte (Wikipédia):

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rela%C3%A7%C3%B5es_entre_China_e_Jap%C3%A3o

———————–

Fontes consultadas:

* Ver:

http://www.lemonde.fr/idees/article/2012/10/30/la-chine-est-proprietaire-des-iles-diaoyu-et-non-le-japon_1783146_3232.html

Ver ainda o acompanhamento Le Monde Ásia-Pacífico”:

http://portuguese.cri.cn/561/2012/11/03/1s157915.htm

———————–

Ver também:

http://espanol.cntv.cn/special/islasdiaoyu/reportajeespecial/index.shtml

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!