fbpx
EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ministério de Defesa da Rússia rebateu acusações de presença militar na Ucrânia

Na semana passada, em 9 de junho, o Ministério da Defesa da Rússia manifestou que não há tropas russas em território ucraniano, rebatendo a declaração do presidente ucraniano Petro Poroshenko, realizada no Parlamento da Ucrânia na semana anterior, em 4 de junho, pela qual afirmou que “9 mil tropas russas se encontravam presentes no sudeste ucraniano, e o ministro de defesa ucraniano, Stepan Poltorak, após um final de semana, constatou cerca de 42,500 soldado e 558 tanques hostis em território ucraniano[1].

O Ministro da Defesa da Federação Russa, o general Sergei Shoigu, também ressaltou de forma crítica a maneira como o Governo ucraniano conduz sua política externa, uma vez que não busca dialogar com a Rússia mediante as acusações que realiza publicamente. Afirmou: “em momento algum o ministro da defesa ucraniano nos buscou para pedir explicações ou declarações[1].

Para alguns analistas, é possível interpretar que a Ucrânia esteja encontrando na rivalidade retórica com a Rússia uma saída para obter um maior apoio da OTAN e, consequentemente, da União Europeia, desconsiderando o relacionamento cooperativo de Defesa com a Federação Russa.

Especialistas em Segurança e Defesa apontam que a afirmação dessa quantidade de tanques serem da Rússia é inapropriada, uma vez que a Ucrânia possui uma força bélica constituída, até o momento, por armamentos russos e as regiões com concentração de milícias separatistas, como Donetsk e Lugansk, possuíam batalhões de infantaria motorizada e cavalaria blindada, explicando a existência de veículos blindados de origem russa sob posse dos separatistas como decorrentes da apropriação realizada por eles.

Outra questão levantada por especialistas é a não especificação do tipo de veículos blindados encontrados, se eram Veículos de Transporte de Tropas e Suporte de Fogo (FAVs) ou os Tanque de Batalha Principal (MBT), o que, para os experts, é uma informação crucial para se expor as reais ameaças hostis, levantando a dúvida se o Governo ucraniano tem ou não certeza sobre os dados informados publicamente.

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://gdb.rferl.org/F4398DCE-126C-4249-98CE-60B81430CA5A_w640_r1_s_cx0_cy11_cw0.jpg

Link Site:

http://www.rferl.org/content/ukraine-poroshenko-nato-security/26749370.html

———————————————————————————————–

Fonte Consultada:
[1] Ver
Russias Defense Ministry says no calls from Ukraines defense minister” (Publicado em 9 de junho de 2015):

http://tass.ru/en/russia/799781

About author

Pósgraduado em Ciência Política (IUPERJ) e Bacharel em Relações Internacionais (UCAM). Experiência profissional em Representação Comercial e atualmente Gerente de Projetos e Novos Negócios na Prefeitura do Rio de Janeiro. No CEIRI Newspaper escreve no grupo Europa desde março de 2013, em que desenvolve publicações com ênfase na Política Externa Russa.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!