NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ministério do Planejamento do Iraque e Banco Mundial criam Fundo para combater a pobreza no país

Ministro do Planejamento do Iraque, Salman Aljumaili, anunciou projeto de cooperação com o Banco Mundial que objetiva melhorar as condições de vida da população mais vulnerável no país, através da garantia de melhoramento do acesso aos serviços básicos e da geração, em curto prazo, de oportunidades laborais. O Fundo Social para o Desenvolvimento, Social Fund for Development (SFD), conta com um capital inicial de aproximadamente US$ 300 milhões (em torno de 1,12 bilhão de reais, de acordo com a cotação do dia 24 de outubro de 2018) e recebe o apoio do Banco Mundial.

Jim Yong Kim, atual presidente do Banco Mundial

Desde o início da desvalorização do petróleo em 2014, e da guerra entre o governo central e o Estado Islâmico (EI), a população iraquiana tem enfrentado diversos desafios frente à instabilidade local. De acordo com dados divulgados pelo Banco Mundial, calcula-se que, desde 2013, ano em que o EI passou a controlar partes do território iraquiano, cerca de 4 milhões de pessoas deslocaram-se internamente. Somado a isso, em torno de 40% da produção agrícola foi reduzida devido a migração forçada em direção às cidades, na busca por melhores oportunidades de trabalho e pela falta de segurança pública. As taxas de pobreza aumentaram a partir de 2014, alcançando 22,5% de um total de 38,5 milhões. Já o índice de desemprego é considerado alto e a participação da mão-de-obra de jovens e mulheres permanece abaixo do percentual da região. Apenas 15% das mulheres iraquianas e 72% dos homens estão empregados, enquanto que na região Norte da África e no Oriente Médio o percentual alcança 22% e 75%, respectivamente. Entre a população jovem, de 15 a 29 anos, 72% das mulheres e 18% dos homens não estão nem estudando, nem trabalhando.

Com a meta de melhorar as condições de vida da sociedade iraquiana, o Fundo financiará subprojetos identificados pelas comunidades que sejam tecnicamente executáveis, financeiramente viáveis e socialmente justificáveis. Esses subprojetos consistem na construção de infraestrutura econômica e social de pequena escala para a comunidade, com o intuito de melhorar o acesso a serviços públicos básicos e investir em outros, utilizando a força de trabalho local.

Os trabalhos começarão em setores econômicos e sociais estratégicos, como educação, saúde, agricultura, irrigação e acesso aos mercados. Serão priorizados subprojetos que beneficiem a parte mais pobre da população e grupos com necessidades especiais, bem como aqueles que criem empregos permanentes. Inicialmente, as atividades serão desenvolvidas nas províncias de Muthanna (a qual tem a taxa mais alta de pobreza), Salahideen (como área libertada pelo EI e com muitos retornados), e Dohuk (região que abriga grande parte dos refugiados sírios). Já em 2019, o programa se expandirá para Ninawa, Thiqar, Qadisiya e Bagdá. A partir de 2020, as atividades serão desenvolvidas em todas as províncias do Iraque.

Objetiva-se, até 2023, ano de encerramento do projeto, aumentar a produtividade no campo, a acessibilidade ao mercado de produtos agrícolas, facilitar a matrícula de crianças em idade escolar nas escolas, aumentar o acesso aos serviços de saúde e o acesso à água potável segura. Além disso, busca beneficiar 1,5 milhão de famílias a obter acesso aos serviços básicos, implementar 1.700 projetos no país, alcançar 600 comunidades e gerar 10 milhões de empregos.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Agricultura é uma das principais fontes de renda dos iraquianos que vivem no campo” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Iraq#/media/File:Iraqi_Kurdish_villagers_in_field_near_Turkish_border.jpg

Imagem 2Jim Yong Kim, atual presidente do Banco Mundial” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/World_Bank#/media/File:Jim_Yong_Kim_(cropped).jpg

About author

Bacharela em Relações Internacionais pela Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES). Dentre as área de interesse estão Segurança Internacional, Geopolítica e estudos sobre o Oriente Médio. Escreve no CEIRI Newspaper sobre o Oriente Médio, particularmente sobre Irã e Iraque.
Related posts
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Agricultura familiar nos PALOP

AMÉRICA DO NORTEEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Barack Obama retorna à Dinamarca

AMÉRICA DO NORTENOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Acordo de Paz entre EUA e Afeganistão ameaça os direitos das mulheres

EURÁSIAEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Macron e Putin realizam encontro bilateral às vésperas do G7

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by