fbpx
NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Mulheres iranianas protestam em favor dos seus direitos no país

Um movimento de jovens mulheres iranianas emergiu nos primeiros dias de agosto de 2018, contra a imposição de restrições do governo do Irã na vestimenta feminina e em seus comportamentos.

Desde 1983, quando a primeira lei islâmica foi estabelecida para o povo iraniano, o país tornou oficialmente obrigatório o uso do véu e de roupas soltas às mulheres, punindo aquelas que descumpriam a regra. No entanto, no governo reformista do presidente Mohammad Khatami (1997-2005), as mulheres foram permitidas ir às ruas utilizando roupas ao estilo ocidental, o hijab* e mostrando parcialmente os cabelos. Porém o Irã continua sendo um dos únicos países do mundo onde o código penal exige o uso da veste.

Mulher iraniana após liberalização do governo Khatami

Atualmente, diversas mulheres desafiam as restrições do hijab no Irã, publicando nas suas redes sociais fotos e vídeos sem a vestimenta. Já outras compartilham suas filmagens amadoras cantando e dançando, o que, de acordo com a lei islâmica, é crime e pode levar à prisão.

Apesar de o Facebook e o Twitter serem proibidos no país, as redes sociais são o principal meio de comunicação das mulheres que estão dentro e fora do Irã. A conscientização pública sobre o tema tem crescido ao longo dos anos nos grupos menos conservadores da sociedade e nos jovens.

Conforme atesta Atefeh Ahmadi, que atualmente vive na Turquia, devido às repressões do governo iraniano sobre sua militância contra o uso do hijab: “apesar da linha dura geralmente tomada pelas autoridades, os protestos ganharam força e não vão parar até que o governo resolva o problema fundamental. […]. Porque até parece que o Estado tem um problema com os corpos das mulheres. Em todos os lugares em que o corpo de uma mulher está envolvido, haverá uma reação do Estado. E isso provocará mais protestos”.

———————————————————————————————–

Nota:

* Hijab, ou Hijabe, é um termo árabe que significa literalmente “cobertura”, “esconder dos olhares”. Nesse sentido, refere-se às vestimentas que são estabelecidas pelo Islã, ao seu conjunto, à sua totalidade. O objetivo é produzir a privacidade, garantir a moralidade, acrescentando-se ainda que a modéstia. Também é interpretado como o “véu que separa o homem de Deus”, sendo necessárias reflexões teológicas para explicar o significado desta afirmação. De forma mais direta, o termo é usado precisamente para fazer referência ao conjunto de vestimentas femininas tradicionais, e tem sido corriqueiramente aludido especificamente ao véu que as mulheres muçulmanas usam.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Mulheres utilizando hijab e vestido solto” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:Protests_in_Bahrain_-_Flickr_-_Al_Jazeera_English_(13).jpg

Imagem 2Mulher iraniana após liberalização do governo Khatami” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:Young_Iranian_Woman_at_Manar_Jomban_(Shaking_Minarets)_-_Isfahan_-_Central_Iran_-_01_(7433558348).jpg

About author

Bacharela em Relações Internacionais pela Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES). Dentre as área de interesse estão Segurança Internacional, Geopolítica e estudos sobre o Oriente Médio. Escreve no CEIRI Newspaper sobre o Oriente Médio, particularmente sobre Irã e Iraque.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!