ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Nadadora síria de 20 anos representará refugiados na Olimpíada de 2020

Yursa Mardini, nascida na Síria e atualmente erradicada na Alemanha, valeu-se da natação para salvar sua vida e agora faz história neste esporte. Com apenas 20 anos de idade, a nadadora busca a qualificação para participar de sua segunda Olimpíada, em Tóquio, após participar da edição dos Jogos no Rio de Janeiro, em 2016.

Acompanhada por sua irmã mais velha, Sarah, e mais 20 refugiados da guerra civil síria em um bote (construído para sete pessoas), a jovem se viu obrigada a lançar-se ao mar aberto e nadar durante três horas seguidas para empurrar a pequena embarcação acometida por uma falha no motor.

A atleta em treinamento para reduzir ainda mais seu tempo na piscina

Após o grupo ter atravessado o território da Turquia em direção à ilha grega de Lesbos, em agosto de 2015, Mardini concentrou suas forças na missão de levar aquelas pessoas em segurança à margem, já que a maioria delas não sabia nadar. Em solo grego, os refugiados seguiram a emigração pela Macedônia, Sérvia, Hungria e Áustria antes de chegar a Berlin, na Alemanha.

Logo no início da estadia no campo de refugiados, o tradutor árabe do grupo colocou as duas irmãs sírias em contato com Wasserfreunde Spandau 04, um dos clubes de natação mais antigos de Berlin. E com apenas quatro semanas de treinamento, seu coach Sven Spannerkrebs já traçara o planejamento para os Jogos Olímpicos de 2020.

Mardini ouve atentamente instruções de seu técnico Sven Spannerkrebs

Ciente de sua importância social e da projeção de sua imagem internacionalmente, Yursa Mardini faz campanha para ser a embaixadora mais nova da Agência dos Refugiados da Organização das Nações Unidas (UNHCR), a fim de inspirar outras pessoas que vivem em países devastados pela guerra a buscar melhores condições de vida. “Nas últimas Olimpíadas, eu representei mais que a Síria […]. Eu representei milhões em todo o mundo. E eu realmente amo essa ideia. Se eu vou competir sob a bandeira alemã, a bandeira síria ou a bandeira olímpica, eu estarei representando todos eles”, ela conclui.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Yursa Mardini em frente ao símbolo olímpico” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2016/03/18/2016-03-18-Ref-thumbnail.jpg?interpolation=lanczos-none&fit=around|1060:600&crop=1060:600;*,*

Imagem 2 “A atleta em treinamento para reduzir ainda mais seu tempo na piscina” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2016/03/18/2016-03-18-Ref-inside02.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

Imagem 3 “Mardini ouve atentamente instruções de seu técnico Sven Spannerkrebs” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2016/03/18/2016-03-18-Ref-inside01.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

About author

Pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais pela Business School São Paulo (BSP), Bacharel em Relações Internacionais no Centro Universitário Fundação Santo André - Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas. Bolsista pelo CNPq em 2009 com o projeto de iniciação científica "A Soberania Nacional em face dos Tratados Bilaterais: A Questão do Tratado de Itaipu". Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Atitude e Ideologias Políticas, atuando principalmente nos seguintes temas: integração, direito, democracia, segurança e negociação internacional. Em sua carreira, conquistou o cargo de Gerente de Negócios Internacionais. Está em contato com o comércio exterior, aprofundando seu conhecimento e focando suas habilidades para os procedimentos de importação. Já participou de diversas feiras internacionais, representando sua empresa, tendo a função de estreitar o relacionamento com fornecedores, investidores e clientes estrangeiros, além de trabalhar a marca da empresa e conquistar distribuições em diferentes continentes.
Related posts
ÁfricaCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Combate ao coronavírus: Quarentena proibida no Malawi

COOPERAÇÃO INTERNACIONALMEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Acordo de Escazú completa 2 anos e persistem os desafios à sustentabilidade

AMÉRICA DO NORTENOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Tensão entre EUA e Irã se intensifica

ÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Crescem as especulações sobre mudanças na liderança em Pyongyang

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by