ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Nadadora síria de 20 anos representará refugiados na Olimpíada de 2020

Yursa Mardini, nascida na Síria e atualmente erradicada na Alemanha, valeu-se da natação para salvar sua vida e agora faz história neste esporte. Com apenas 20 anos de idade, a nadadora busca a qualificação para participar de sua segunda Olimpíada, em Tóquio, após participar da edição dos Jogos no Rio de Janeiro, em 2016.

Acompanhada por sua irmã mais velha, Sarah, e mais 20 refugiados da guerra civil síria em um bote (construído para sete pessoas), a jovem se viu obrigada a lançar-se ao mar aberto e nadar durante três horas seguidas para empurrar a pequena embarcação acometida por uma falha no motor.

A atleta em treinamento para reduzir ainda mais seu tempo na piscina

Após o grupo ter atravessado o território da Turquia em direção à ilha grega de Lesbos, em agosto de 2015, Mardini concentrou suas forças na missão de levar aquelas pessoas em segurança à margem, já que a maioria delas não sabia nadar. Em solo grego, os refugiados seguiram a emigração pela Macedônia, Sérvia, Hungria e Áustria antes de chegar a Berlin, na Alemanha.

Logo no início da estadia no campo de refugiados, o tradutor árabe do grupo colocou as duas irmãs sírias em contato com Wasserfreunde Spandau 04, um dos clubes de natação mais antigos de Berlin. E com apenas quatro semanas de treinamento, seu coach Sven Spannerkrebs já traçara o planejamento para os Jogos Olímpicos de 2020.

Mardini ouve atentamente instruções de seu técnico Sven Spannerkrebs

Ciente de sua importância social e da projeção de sua imagem internacionalmente, Yursa Mardini faz campanha para ser a embaixadora mais nova da Agência dos Refugiados da Organização das Nações Unidas (UNHCR), a fim de inspirar outras pessoas que vivem em países devastados pela guerra a buscar melhores condições de vida. “Nas últimas Olimpíadas, eu representei mais que a Síria […]. Eu representei milhões em todo o mundo. E eu realmente amo essa ideia. Se eu vou competir sob a bandeira alemã, a bandeira síria ou a bandeira olímpica, eu estarei representando todos eles”, ela conclui.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Yursa Mardini em frente ao símbolo olímpico” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2016/03/18/2016-03-18-Ref-thumbnail.jpg?interpolation=lanczos-none&fit=around|1060:600&crop=1060:600;*,*

Imagem 2 “A atleta em treinamento para reduzir ainda mais seu tempo na piscina” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2016/03/18/2016-03-18-Ref-inside02.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

Imagem 3 “Mardini ouve atentamente instruções de seu técnico Sven Spannerkrebs” (Fonte):

https://stillmed.olympic.org/media/Images/OlympicOrg/News/2016/03/18/2016-03-18-Ref-inside01.jpg?interpolation=lanczos-none&resize=1060:*

About author

Pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais pela Business School São Paulo (BSP), Bacharel em Relações Internacionais no Centro Universitário Fundação Santo André - Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas. Bolsista pelo CNPq em 2009 com o projeto de iniciação científica "A Soberania Nacional em face dos Tratados Bilaterais: A Questão do Tratado de Itaipu". Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Atitude e Ideologias Políticas, atuando principalmente nos seguintes temas: integração, direito, democracia, segurança e negociação internacional. Em sua carreira, conquistou o cargo de Gerente de Negócios Internacionais. Está em contato com o comércio exterior, aprofundando seu conhecimento e focando suas habilidades para os procedimentos de importação. Já participou de diversas feiras internacionais, representando sua empresa, tendo a função de estreitar o relacionamento com fornecedores, investidores e clientes estrangeiros, além de trabalhar a marca da empresa e conquistar distribuições em diferentes continentes.
Related posts
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataques a capacetes azuis no Mali

ECONOMIA INTERNACIONALEURÁSIANOTAS ANALÍTICAS

Rússia apresenta reservas financeiras maiores que saldos devedores

ÁSIAEURÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Rússia compete com China por influência no Sudeste Asiático

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

ONU HABITAT estimula a gestão dos resíduos nas cidades

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by