fbpx
EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Novo Presidente do Kosovo é eleito pelo Parlamento

Na sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016, membros do Parlamento elegeram o novo Presidente da República do Kosovo. Num resultado de 71 votos a favor, do total de 120 aptos a votar, o antes Ministro das Relações Exteriores, Hashim Thaçi (do Partido Democrático do Kosovo), tornou-se o novo Presidente Kosovar.

A sessão foi tumultuada. Membros do partido de oposição reagiram de forma hostil à divulgação do resultado. Em manifestações similares às vivenciadas no ano de 2015, os membros opositores irromperam o Parlamento com gás lacrimejante, adicionados a fortes protestos que aconteciam fora do prédio. As razões da discórdia vêm de políticas e acordos feitos, que fortalecem as relações do Governo com a minoria sérvia do país, endossadas pelo partido de Thaçi.

Thaçi, um ex-guerrilheiro do Exército de Libertação do Kosovo, exerceu a posição de líder político da organização durante a Guerra do Kosovo, entre 1998-1999. Na ocasião, participou dos Acordos de Rambouillet, que buscaram selar a paz entre as forças kosovares e o Governo da República Federativa da Iugoslávia. No entanto, acarretaram em uma tentativa fracassada e, por meio da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), abriu-se o precedente para os bombardeios que assolaram Belgrado por mais de 70 dias, em meados de 1999.

Desde então, o Partido Democrático do Kosovo permaneceu na oposição ao regime e pregou a multietnicidade do país, mesmo contendo em sua gênese membros da antiga guerrilha nacionalista do Kosovo. Em seu discurso de vitória, Thaçi realmente salientou o compromisso com o plano do Governo anterior e afirmou que a confiança dada a ele se reverterá em “trabalho prestado ao país, servindo todos cidadãos e respeitando a Constituição para construir um Kosovo voltado para a Europa”. Thaçi sucedeu Atifete Jahjaga como Presidente.  

O sistema eleitoral no país foi inicialmente desenhado pela Comunidade Internacional e aprimorado enquanto Kosovo advogava por sua independência, sob tutela das Nações Unidas, em 2008. Prelinarmente, o Presidente kosovar possuía competências mínimas e, mesmo a partir da adoção da nova Constituição, a nomeação do Presidente seria feita pela Assembleia Nacional.

Atualmente, o papel presidencial ainda é pequeno, no entanto, possui poder perante questões securitárias, de Política Externa, Judiciais, Legislativas e Comunitárias. O Primeiro-Ministro o tem como aliado na tomada de decisão, concomitantemente exercendo consultas para demais membros do Legislativo.

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://www.independent.mk/media/images/2015-04/photo_verybig_16758.jpg

About author

Mestrando em Ciências Sociais pela PUC-RS. Bacharel em Relações Internacionais (2014), pelo Centro Universitário Univates de Lajeado - RS, realizou estudos em Segurança Internacional na Högskolan i Halmstad em Halmstad, Suécia (2013). Áreas de interesse em pesquisa são em Política Internacional, Segurança Internacional, Península Balcânica e etnias nas Relações Internacionais.'
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!