EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

O crescimento populacional das Ilhas Faroé

O arquipélago das Ilhas Faroé possui 1.499 Km² e compõe-se de 18 ilhas maiores, além de algumas menores desabitadas. Localiza-se no Atlântico Norte, entre a Islândia e a Escócia, e sua capital é Tórshavn, situada na Ilha de Streymoy, e abriga aproximadamente 16.000 habitantes.

A região é um território autônomo do Reino da Dinamarca, desde 1948, e organiza-se mediante três instituições político-administrativas: (1) o Alto Comissário, que representa a monarquia; (2) um Parlamento unicameral, o Lagting, composto por 32 membros; e (3) um Primeiro-Ministro como Chefe de Governo.

Bandeira das Ilhas Faroé

A população faroesa é pequena quantitativamente e sofreu por um longo período com dificuldade para manter habitantes nas ilhas. O motivo é a falta de oportunidades de crescimento, que tendia a estimular a juventude a deixar a região para estudar em Copenhague.

O fluxo de emigração vem diminuindo gradativamente nas Ilhas Faroé, pois muitos jovens estão retornando para seus lugares de origem. A imigração tailandesa para a região também é responsável pelo aumento populacional, e o número de nascimentos tem sido estimulado pela soma desses fatores.

O Jornal Sermitsiaq informou que 36% dos jovens estudavam nas Ilhas Faroé, em 2011, em relação aos 43% que estudam atualmente na região. No mesmo período, a proporção de jovens que se instalavam na Dinamarca regrediu de 54% para 50%. Com esses resultados, Faroé atingiu em julho deste ano (2018) 51.000 habitantes, graças ao retorno de pessoas e à imigração.

O Jornal Copenhaguen Post comentou o crescimento econômico de 5% ocorrido em 2017, e trouxe a afirmação de Linda Klein, estudante universitária: “Há muitos jovens que veem um futuro nas Ilhas Faroe. Há mais e mais vida, e as pessoas estão começando a sentir que são jovens e estudar aqui é o mesmo que em Copenhague”.

Os analistas observam que é benéfico o retorno da juventude para as Ilhas Faroé, pois o aumento de população qualificada na região pode contribuir para o seu desenvolvimento econômico. Todavia, seria interessante estimular a vinda de mais imigrantes, a fim de compensar a dificuldade de natalidade que tende a impedir o crescimento populacional com os locais.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Localização geográfica das Ilhas Faroé” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/35/Kingdom_of_Denmark_in_its_region_%28special_marker%29.svg/1024px-Kingdom_of_Denmark_in_its_region_%28special_marker%29.svg.png

Imagem 2 Bandeira das Ilhas Faroé” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/3c/Flag_of_the_Faroe_Islands.svg/640px-Flag_of_the_Faroe_Islands.svg.png

About author

Mestre em Sociologia Política (2018) e Bacharel em Relações Internacionais (2014) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ vinculado a Universidade Cândido Mendes. Atualmente incorpora o quadro do CEIRI Newspaper, onde atua na qualidade de colaborador voluntário na produção de notas analíticas e conjunturais na área de política internacional europeia com ênfase nos Estados Nórdico-Bálticos e Rússia.
Related posts
ÁfricaCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Combate ao coronavírus: Quarentena proibida no Malawi

COOPERAÇÃO INTERNACIONALMEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Acordo de Escazú completa 2 anos e persistem os desafios à sustentabilidade

AMÉRICA DO NORTENOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Tensão entre EUA e Irã se intensifica

ÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Crescem as especulações sobre mudanças na liderança em Pyongyang

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by