EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

O crescimento populacional das Ilhas Faroé

O arquipélago das Ilhas Faroé possui 1.499 Km² e compõe-se de 18 ilhas maiores, além de algumas menores desabitadas. Localiza-se no Atlântico Norte, entre a Islândia e a Escócia, e sua capital é Tórshavn, situada na Ilha de Streymoy, e abriga aproximadamente 16.000 habitantes.

A região é um território autônomo do Reino da Dinamarca, desde 1948, e organiza-se mediante três instituições político-administrativas: (1) o Alto Comissário, que representa a monarquia; (2) um Parlamento unicameral, o Lagting, composto por 32 membros; e (3) um Primeiro-Ministro como Chefe de Governo.

Bandeira das Ilhas Faroé

A população faroesa é pequena quantitativamente e sofreu por um longo período com dificuldade para manter habitantes nas ilhas. O motivo é a falta de oportunidades de crescimento, que tendia a estimular a juventude a deixar a região para estudar em Copenhague.

O fluxo de emigração vem diminuindo gradativamente nas Ilhas Faroé, pois muitos jovens estão retornando para seus lugares de origem. A imigração tailandesa para a região também é responsável pelo aumento populacional, e o número de nascimentos tem sido estimulado pela soma desses fatores.

O Jornal Sermitsiaq informou que 36% dos jovens estudavam nas Ilhas Faroé, em 2011, em relação aos 43% que estudam atualmente na região. No mesmo período, a proporção de jovens que se instalavam na Dinamarca regrediu de 54% para 50%. Com esses resultados, Faroé atingiu em julho deste ano (2018) 51.000 habitantes, graças ao retorno de pessoas e à imigração.

O Jornal Copenhaguen Post comentou o crescimento econômico de 5% ocorrido em 2017, e trouxe a afirmação de Linda Klein, estudante universitária: “Há muitos jovens que veem um futuro nas Ilhas Faroe. Há mais e mais vida, e as pessoas estão começando a sentir que são jovens e estudar aqui é o mesmo que em Copenhague”.

Os analistas observam que é benéfico o retorno da juventude para as Ilhas Faroé, pois o aumento de população qualificada na região pode contribuir para o seu desenvolvimento econômico. Todavia, seria interessante estimular a vinda de mais imigrantes, a fim de compensar a dificuldade de natalidade que tende a impedir o crescimento populacional com os locais.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Localização geográfica das Ilhas Faroé” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/35/Kingdom_of_Denmark_in_its_region_%28special_marker%29.svg/1024px-Kingdom_of_Denmark_in_its_region_%28special_marker%29.svg.png

Imagem 2 Bandeira das Ilhas Faroé” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/3/3c/Flag_of_the_Faroe_Islands.svg/640px-Flag_of_the_Faroe_Islands.svg.png

About author

Mestre em Sociologia Política (2018) e Bacharel em Relações Internacionais (2014) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ vinculado a Universidade Cândido Mendes. Atualmente incorpora o quadro do CEIRI Newspaper, onde atua na qualidade de colaborador voluntário na produção de notas analíticas e conjunturais na área de política internacional europeia com ênfase nos Estados Nórdico-Bálticos e Rússia.
Related posts
ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Oleoduto entre Angola e Zâmbia

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Conselho de Direitos Humanos da ONU discute projeto de Tratado sobre a Responsabilidade de empresas e Estados pelo respeito aos Direitos Humanos

NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Laboratório da Samsung na Rússia na vanguarda dos “deepfake”

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Extinction Rebellion toma conta das ruas de Londres, em protesto pelo clima

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by