ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIO

[:pt]O Interesse do Catar no Gás Natural de Moçambique[:]

[:pt]

Em setembro de 2016, a Qatar Petroleum (QP) anunciou interesse em investir na exploração de gás natural em Moçambique. O objetivo da companhia é adquirir, em possível parceria com a Exxon Mobil, campos offshore atualmente gerenciados pela companhia italiana Ente Nazionale Idrocarburi (ENI), que pretende vender 50% da sua participação na Área 4 da Bacia do Rovuma, no norte de Moçambique.

O Catar é uma das maiores potências internacionais do mercado de gás natural, se destacando como detentor da terceira maior reserva mundial comprovada, atrás apenas do Irã e da Rússia. Somado a isto, o país é o maior vendedor de gás natural liquefeito (GNL) do mundo, respondendo por cerca de um terço das exportações ao redor do globo. O GNL é o gás natural em forma líquida, que é congelado a uma temperatura inferior a -160°C e que, no estado líquido, permite um armazenamento mais econômico e prático, além disso, possibilita que seja transportado por via marítima através de longas distâncias sem a necessidade de gasodutos. Moçambique em seu turno, país membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), possui a vigésima maior reserva de gás natural comprovada e a terceira maior da África, superada apenas por Nigéria e Argélia, nesta ordem.

pic2Desde 2010 houve descobertas significativas na Bacia do Rovuma no espaço marítimo moçambicano. Em 2014, o Governo local publicou um Decreto proporcionando estrutura legal e contratual para apoiar o desenvolvimento do setor, em especial para projetos de GNL no país. Vale ressaltar que Moçambique ocupa uma posição estratégica no Oceano Índico, de modo que a comercialização do GNL com grandes consumidores do Leste Asiático como China, Coreia do Sul e Japão poderia se tornar uma considerável fonte de receitas para o Estado africano.

A parceria com a QP poderia trazer benefícios para o país, pois o Catar pode contribuir com o desenvolvimento do setor no que diz respeito ao investimento de capital, conhecimento técnico e até mesmo no que diz respeito à montagem de estruturas de liquefação. Para o Catar, em seu turno, a parceria é importante por representar presença estratégica no continente africano e garantia de comercialização com o extremo Oriente e a Europa sem a necessidade de passar seus carregamentos navais pelos Estreitos de Ormuz, Bab el Mandeb e Canal de Suez, embora, no caso do Oriente, ainda exista o Estreito de Malaca.

Moçambique é um país com potencial de se tornar um exportador em potencial de gás natural dentro e fora de seu continente, somado a isto, a presença de companhias como a QP pode contribuir com o desenvolvimento do setor e pagamento de royalties e geração de receitas. O Brasil também pode obter ganhos com as concessões em Moçambique, pois, desde 2006, a Petrobras possui acordo com a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) para a exploração de gás natural no país. 

———————————————————————————————–                    

Imagem 1Imagem para entender a área de exploração da ENI e de interesse da QP” (Fonte):

http://www.energy-pedia.com/news/mozambique/new-162157

Imagem 2Imagem para entender a área de exploração da ENI e de interesse da QP” (Fonte):

http://www.marcon.com/print_index.cfm?SectionListsID=30&PageID=2622

[:]

About author

Graduado em Relações Internacionais pelo Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) e mestre em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desde 2013 pesquisador de geopolítica pelo Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil (EGN/MB), onde escreve sobre temas relacionados ao Oriente Médio para o Boletim Geocorrente. Principais ramos de atuação: Relações Internacionais, História, Geopolítica do Petróleo e do Oriente Médio.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU anuncia manter proteção a civis aos 10 anos da guerra na Síria

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Governo do Sudão compensa vítimas do ataque terrorista ao USS Cole

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Manufatura chinesa registra maior queda desde 2009 devido ao coronavírus

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Brexit, continuação do processo

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by