ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

O legado econômico da Copa do Mundo

Encarado, anteriormente, pelo Governo brasileiro como um elemento impulsionador e de grande relevância para o crescimento econômico nacional, estudos comprovam ter havido, por parte do Governo Federal, um exagerado dimensionamento acerca dos efeitos econômicos da Copa 2014 no Brasil, haja vista que o fato de o país ser sede do torneio não se reverterá, pelas mais inúmeras razões, em um impulso prolongado e duradouro na economia brasileira, ainda que sediar a Copa pudesse vir a gerar um alto grau de confiança para o país. Assim, segundo relatório recentemente divulgado pelo Instituto de Economia Mundial de Hamburgo (HWWI), a FIFA é a única que irá se beneficiar diretamente com a Copa.

De acordo com o Relatório, não obstante empresas de alguns setores da economia – segurança, construção civil e gastronomia, por exemplo – se beneficiarem, a curto prazo, com o megaevento, isso não implica em um impulso, a longo prazo, na economia nacional, o que os indicadores de atividade econômica da África do Sul no período posterior à Copa do Mundo de 2010 podem comprovar. Cabe ressaltar, entretanto, que uma Copa do Mundo pode ser um importante catalisador para modernização de países-sede, desde que, é claro, todos os preparativos para a realização do torneio sejam adequadamente equacionados, argumentação esta que já inviabiliza quaisquer suposições quanto a um crescimento econômico brasileiro impulsionado pelo fato de sediar a Copa do Mundo, tendo em vista os inúmeros problemas associados à montagem da infraestrutura necessária para o megaevento.

Ainda segundo o estudo, ao analisar o impacto da Copa do Mundo de 2006, realizada na Alemanha, esta gerou um efeito real de meros 0,4% no crescimento econômico alemão e, apesar de ter propiciado uma alavancagem na imagem externa do país, apenas no curto prazo houve um aumento no nível de ocupação dos indivíduos, concentrado no setor de serviços. Também na África do Sul a Copa atuou no sentido de reforçar a imagem externa do país no cenário internacional, ainda que os ganhos econômicos tenham sido bastante reduzidos.

Por fim, o estudo aponta para o perigo que existe de os investimentos serem erroneamente alocados no caso de as instalações e construções esportivas a serem utilizadas durante a competição não tenham um adequado uso futuro, ou seja, se transformem nos chamados “elefantes brancos”, o que, sem sombra de dúvida, pode ser constatado pelo elevado gasto dispendido na construção de estádios de futebol em estados que sequer possuem tradição no esporte nem tampouco clubes de importância no cenário nacional, tal como o ocorrido em Manaus, Cuiabá e Brasília, por exemplo. Mais produtivo para o crescimento econômico brasileiro teria sido direcionar o investimento feito na construção de  estádios para setores como Educação e Saúde, afirma o Relatório.

———————————————

ImagemUm Brasil Verdadeiramente Campeão” (Fonte):

http://www.blogdabru.com.br/2013_06_01_archive.html

———————————————

Fonte Consultada:

Ver:

http://www.dw.de/copa-do-mundo-não-dará-impulso-duradouro-à-economia-diz-estudo/a-17633360

About author

Mestre em Relações Internacionais pela UERJ, Especialista em História das Relações Internacionais e Bacharel em Ciências Econômicas pela UFRJ. Possui experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Política Internacional e Formação Econômica Brasileira. Foi bolsista de FAPERJ por um ano e Bolsista de Vocação para Diplomacia do Instituto Rio Branco (IRBr) por 4 (quatro) anos. Áreas de interesse: Esporte e Relações Internacionais; Diplomacia Futebolística; e Soft Power e Política Externa.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!