A Diocese de Turim acolheu, nos dias 21 e 22 de junho, o Papa Francisco. Nas palavras do próprio Santo Padre, a visita pastoral à capital da região do Piemonte teve, como objetivo principal, “venerar o Santo Sudário” e homenagear “São João Bosco, na celebração do bicentenário de seu nascimento[1]. Realizada alguns dias após a publicação da segunda Encíclica de seu Pontificado, Laudato, Si[2], a viagem de Francisco a Turim foi guiada pelo lema da ostentação do Santo Sudário para 2015: “O amor maior[3].

O Arcebispo de Turim, Dom Cesare Nosiglia, no anúncio da confirmação da ida do Papa, em novembro do ano passado, salientou que a “visita do Papa Francisco ocorre em um momento em que nossa região e cidade sofrem uma situação econômica e social de grande dificuldade por causa da falta de trabalho e de famílias na pobreza, que afetam fortemente os idosos e os jovens. A vinda do Papa é, portanto, um sinal de grande esperança e encorajamento para encontrar as raízes cristãs da fé e da fraternidade, tão bem testemunhadas pelo exemplo de nossos santos e beatos, a vontade comum de lutar nas ruas pela recuperação moral e social da nossa região[4].

Dois temas congregaram as atenções desta visita papal: o Sudário de Turim e, como já referimos, a crise laboral que assola toda a Itália, com ênfase para o norte do país, sua região mais industrializada. O Sudário, que muitos consideram ter sido a mortalha de Jesus Cristo, é uma das mais conhecidas relíquias relacionadas com a Paixão. Ele pertenceu à Real Casa de Saboia desde 1357, tendo sido doado ao Vaticano em 1983. Apesar de, “em 1988, o pano da mortalha ter sido datado por radiocarbono em três laboratórios diferentes (em Zurique, em Oxford e na Universidade do Arizona) […] e de os resultados terem dado um intervalo de datas entre 1260 e 1390[5], a Igreja Católica não tomou posição pública sobre a autenticidade da relíquia, embora a Enciclopédia Católica afirme que o Sudário está além da capacidade de qualquer falsário medieval[6].

O Sudário, que estará aberto à visitação pública, este ano, entre 19 de abril e 24 de junho, acolheu as orações de Francisco na manhã de domingo, 21 de junho. Ante a relíquia, que se conserva na Catedral de São João Batista, o Papa declarou: “O Sudário nos atrai através da face e corpo martirizado de Jesus[7]. Por outro lado, Francisco sublinhou, durante a oração do Angelus, que o Sudárionos empurra em direção ao rosto de cada pessoa que sofre e que é injustamente perseguida. Ele nos empurra na mesma direção, como presente do amor de Jesus[8].

O mundo do trabalho acolheu a primeira das reuniões do Papa Francisco, em Turim. O trabalho, considerado como fonte para a realização da pessoa, foi abordado nesta oportunidade. “O trabalho não é necessário somente para a economia, mas para a pessoa humana, para sua dignidade, para sua cidadania e, também, para a inclusão social[9], sublinhou o Papa. Considerando o papel das classes laboriosas para a construção da Itália, assim como a crise de emprego que assola o país – a taxa oficial de desemprego é superior a 12%, enquanto entre os jovens ela supera os 40%[10]Francisco frisou nesta oportunidade: “Turim é historicamente um polo de atração laboral, mas hoje se ressente fortemente da crise: falta trabalho, aumentaram as desigualdades econômicas e sociais, muitas pessoas empobreceram e têm problemas com a casa, a saúde, a instrução e outros bens primários. A imigração aumenta a competição, mas os migrantes não devem ser responsabilizados, porque eles são vítimas da iniquidade, desta economia que descarta e das guerras. Faz chorar ver o espetáculo destes dias, nos quais os seres humanos são tratados como mercadorias[11]. Daí, a proposta feita pelo Papa, aos turineses, no sentido de fomentarem a “via da solidariedade entre gerações, que se realiza antes de tudo na família[12].

O segundo centenário do nascimento de São João Bosco serviu para Sua Santidade realizar, junto com a comunidade salesiana, aquilo que especialistas consideraram ter sido uma MiniJornada Mundial da Juventude. Referindo-se ao fundador da Congregação Salesiana, Francisco destacou a importância da ação social para ajudar os jovens: “Dom Bosco nos ensina que o melhor caminho é o da prevenção: até o conflito social deve ser evitado e isso se faz com justiça[13].

É de referir, também, que a vida daqueles que sofrem mereceu, por parte do Sumo Pontífice, especial atenção ao longo desta viagem. Reunido com os doentes e pessoas com deficiência, na Piccola Casa della Divina Provvidenza, o Papa retomou o exposto em sua Exortação Apostólica Evangelii Gaudium[14]: “A exclusão dos pobres e da dificuldade para os indigentes receberem a assistência e o tratamento necessário, é uma situação que, infelizmente, ainda hoje existe. Houve grandes avanços na medicina e na assistência social, mas se espalhou uma cultura de desperdício, como resultado de uma crise antropológica que não coloca no centro as pessoas, mas o consumo e os interesses econômicos[15].

À visão técnica dos problemas sociais, Francisco contrapôs seu entendimento holístico, das pessoas e do mundo: “A razão de ser desta Piccola Casa não é o assistencialismo, ou a filantropia, mas o Evangelho: o Evangelho do amor de Cristo é a força que a fez nascer e que a faz andar adiante: o amor da predileção de Jesus pelos mais frágeis e os mais débeis. Este é o centro[16]. Anteriormente, ao proferir a homilia da missa concelebrada na Praça Vittorio, ante dezenas de milhares de fiéis, o Papa enfatizara: “O espírito do mundo está sempre à procura de novidade, mas somente a fidelidade de Jesus é capaz da verdadeira novidade de fazer-nos homens[17].

A viagem pastoral a Turim – cidade na qual o Papa tem algumas de suas raízes familiares, onde seu pai, Mario Giuseppe Bergoglio Vasallo, foi batizado, e seus avós casaram – reafirma algumas das traves-mestras do seu Pontificado: o empenho por uma cultura de paz, a denúncia da coisificação da vida humana a partir do individualismo e do relativismo imperantes no mundo atual, a crítica veemente ao capitalismo global e, também, a reafirmação da Igreja Católica nas suas vertentes eclesiológica e pastoral[18].

Profundamente inspirado por São Francisco – “manifestou uma atenção particular pela criação de Deus e pelos mais pobres e abandonados. Amava e era amado pela sua alegria, a sua dedicação generosa, o seu coração universal[19] – é de supor que o primeiro Papa argentino e integrante da Companhia de Jesus se deixe penetrar, crescentemente, pelo amor gêmeo, tal como ele foi formulado por Santo Antônio de Lisboa[20].

————————————————————————————————

Imagem O Papa Francisco reza ante o Santo Sudário (Catedral de São João Batista, de Turim, 21 de junho de 2015)” (Fonte):

http://www.telemundo.com/sites/nbcutelemundo/files/styles/article_cover_image/public/images/article/cover/2015/06/21/papa-visita-sudario.jpg?itok=aTaMwGKP

————————————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.diocesi.torino.it/diocesi_di_torino/in_primo_piano/00051667_21_giugno_2015__il_Papa_a_Torino_per_Ostensione_Sindone__Preghiera_di_ringraziamento_nelle_parrocchie_il_9_novembre_2014.html

[2] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

[3] Ver:

http://www.osservatoreromano.va/pt/news/o-amor-maior

[4] Ver:

http://www.diocesi.torino.it/diocesi_di_torino/in_primo_piano/00051667_21_giugno_2015__il_Papa_a_Torino_per_Ostensione_Sindone__Preghiera_di_ringraziamento_nelle_parrocchie_il_9_novembre_2014.html

[5] Ver:

http://www.livescience.com/6912-voice-reason-truth-shroud-turin.html

[6] Ver:

http://www.newadvent.org/cathen/13762a.htm

[7] Ver:

http://www.catholicnewsagency.com/news/shroud-of-turin-reminds-us-of-all-human-suffering-pope-francis-says-29925/

[8] Ver:

http://www.catholicnewsagency.com/news/shroud-of-turin-reminds-us-of-all-human-suffering-pope-francis-says-29925/

[9] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/speeches/2015/june/documents/papa-francesco_20150621_torino-mondo-lavoro.html

[10] Ver:

http://www.catholicnewsagency.com/news/pope-francis-speaks-up-for-italys-unemployed-youth-61827/

[11] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/speeches/2015/june/documents/papa-francesco_20150621_torino-mondo-lavoro.html

[12] Ver:

http://www.osservatoreromano.va/pt/news/das-raizes-ao-futuro

[13] Ver:

http://www.catholicnewsagency.com/news/pope-francis-asks-workers-give-immigrants-compassion-not-blame-22432/

[14] Ver:

Cf. PAPA FRANCISCO, Exortação Apostólica Evangelii Gaudium – A Alegria do Evangelho, 2.ª ed., São Paulo, Paulus Editora – Edições Loyola Jesuítas, 2014, trad. do italiano, págs. 40-41 [52-53].

[15] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/speeches/2015/june/documents/papa-francesco_20150621_torino-malati-disabili.html

[16] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/speeches/2015/june/documents/papa-francesco_20150621_torino-malati-disabili.html

[17] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/homilies/2015/documents/papa-francesco_20150621_omelia-torino.html

[18] Ao celebrar sua primeira missa, como Papa, Francisco alertou os Cardeais: “Se não professarmos Jesus Cristo, nos converteremos em uma organização não-governamental piedosa, não em uma esposa do Senhor”. Ver:

http://www.bbc.com/portuguese/ultimas_noticias/2013/03/130313_papa_ong_lk_rn

[19] Ver:

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

[20] Santo António de Lisboa enfatiza o papel do amor gêmeo nos seus Sermões, tanto os Dominicais, quanto os Festivos. O franciscano, pregador in universum, não se cansa de falar no amor a Deus e ao Próximo, sentimento total e retributivo que consiste na paga do Amor dispensado aos homens na Criação e na Redenção. Tal Amor é, a um tempo, atitude de doação caritativa entre semelhantes: “Amor, no étimo latino, significa ligar dois entre si. O amor, na verdade, começa por dois: o amor de Deus e o do próximo. O amor só nos bons costuma existir. Amar significa ligar dois.”, ver: SANTO ANTÓNIO DE LISBOA (Introdução, tradução e notas de Henrique Pinto Rema), Obras Completas, Porto, Lello & Irmão – Editores, 1987, Vol. II (Sermões Dominicais), pág. 20.

Prosseguindo, o Santo escreve, agora no plano dialógico: Deus, “no princípio antes de existires, deu-te a ti, no segundo momento, sendo tu mau, deu-se a ti, para que fosses bom, e quando se te deu, restituiu-te a ti. Dado, portanto, e restituído, de­ves-te duas vezes e deves-te todo.”, Id., ib., pág., pág. 22.

About author

É Licenciado em Filosofia pela Universidade do Porto (Portugal) e Doutor em Filosofia pela Universidade de Évora (Portugal). Professor Associado da Universidade de Évora, reside em Curitiba desde início de 2012, onde é Professor na Faculdade São Braz e na Faculdade Inspirar. É autor de doze livros e mais de cem artigos científicos nas áreas da Ética, Filosofia da Educação e Filosofia Social e Política.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!