fbpx
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALEUROPANOTAS ANALÍTICAS

O Parlamento da Ucrânia sobrevive à moção de desconfiança e os protestos continuam

A Varhóvna Ráda” (o Parlamento da Ucrânia”) rejeitou nesta terça-feira, dia 3 de dezembro, uma “Moção de Censura” contra o Governo liderado pelo primeiro-ministro Mikolá Azárov. O “Voto de Desconfiança”, apresentado por três grupos parlamentares opositores – o Batkivchtina (a terra do pão”, em português), o UDAR (Golpe) e o Svoboda (liberdade) – obteve o respaldo de apenas 186 legisladores, quando, para sua aprovação, seriam necessários 226 votos[1].

O “Partido Comunista da Ucrânia”, no entanto, apresentou outra Censura, que será votada mais tarde. O líder do Batkivchtina, Arseníi Yatseníuk, anunciou que apoiará a iniciativa dos comunistas. Antes da votação, Azárov, que concorreu à Ráda acompanhado de seus ministros, defendeu a sua gestão do Governo e exigiu da Oposição que ponha um fim no bloqueio ilegal da sede do Executivo.

Os senhores responderão sem falta por tudo isso[2], disse Azárov dirigindo-se aos Deputados opositores. Ele refutou às acusações da oposição de que o Governo, ao renunciar temporariamente ao Acordo de associação com a “União Europeia”, vendeu a Ucrânia à Rússia. Azárov respondeu que “Quem vendeu o país à Rússia foi quem assinou em 2009 os onerosos contratos de gás[2], em alusão à ex-primeira-ministra e líder opositora Yúlia Tymoshénko, que está presa e cumpre atualmente uma pena de sete anos por “abuso de poder”.

Segundo o primeiro-ministro, esses contratos com a Rússia, são “insuportáveis[2] para a economia do país e foram eles que “puseram de joelhos a Ucrânia[2] e não esta atual gestão do Governo.

—————————–

Imagem (Fonte):

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/27/Verkhovna_Rada_main_session_hall.jpg

—————————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://tsn.ua/politika/verhovna-rada-ne-zmogla-vidpraviti-kabmin-azarova-u-vidstavku-323438.html

[2] Ver:

http://www.pravda.com.ua/news/2013/12/4/7004846/

Enhanced by Zemanta

About author

De nacionalidade Búlgara, é Mestre em Segurança Corporativa (2012) pela Universidade de Economia Nacional e Mundial (UNSS, Sófia). Atua na área de Segurança Pública, Segurança Corporativa e Diplomacia Corporativa com foco nos países do Leste Europeu, sendo referência em questões relacionadas a Península Balcânica, Turquia e Rússia. Atualmente é jornalista e editor de notícias internacionais da Televisão Nacional da Bulgária (BNT).
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!