América do NorteECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Os investimentos da China em 5G eclipsarão os da América do Norte

Estima-se que os investimentos da China na rede de 5G ultrapassem os da América do Norte entre 2019 e 2023, à medida que a segunda maior economia do mundo vem substituindo o 4G para a tecnologia celular da próxima geração, informa o jornal South China Morning Post.

Segundo o Dell’Oro Group, empresa americana de pesquisa de marketing independente, o gasto total da China em 5G será duas vezes maior que o da América do Norte no mesmo período. O ritmo dos investimentos de Pequim marca a tentativa chinesa de avançar na corrida global pelos sistemas de telecomunicação da próxima geração, que auxiliarão no funcionamento da internet industrial, dos carros autônomos e das cidades inteligentes.

Serviços comerciais de 5G móvel já existem nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Coreia do Sul, na Austrália, na Espanha e na Suíça. Contudo, a escala do mercado chinês obscurecerá o tamanho combinado dessas economias, neutralizando as vantagens de serem os primeiros mercados a adotarem essa tecnologia.

De acordo com uma porta-voz da Dell’Oro, os gastos combinados da China em 4G e 5G ultrapassarão os 40 bilhões de dólares (aproximadamente, 149,7 bilhões de reais, de acordo com a cotação de 19 de julho de 2019) entre 2019 e 2023. O investimento total de Pequim em 5G está previsto entre os 130,8 bilhões de dólares e os 218 bilhões de dólares (entre 489,7 bilhões de reais e 816,1 bilhões de reais, ainda de acordo com a cotação de 19 de junho de 2019) entre 2020 e 2025, segundo um estudo publicado em março pela Academia de Informação e Telecomunicações da China, um instituto de pesquisa do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação (MITI).

Celular com tecnologia 5G da empresa chinesa ZTE

A implantação da rede de infraestrutura será realizada pelas operadoras de rede China Mobile, China Unicom e China Telecom. Além dessas três empresas, o MITI também concedeu uma licença comercial de 5G para a China Broadcasting Network, em junho de 2019.

O potencial do 5G já se tornou visível na China por meio de diversos projetos notórios. Durante o Auto Show de Xangai, em abril de 2019, a China Mobile promoveu seu apoio à tecnologia de veículos autônomos, utilizando uma rede de 5G. Ela permitiu que um piloto do Auto Show controlasse um carro a mais de 1.000 quilômetros de distância, em Pequim.

Prevê-se que o gasto global em redes de 5G alcance 1,3 bilhão de dólares (em torno de 4,8 bilhões de reais, segundo a cotação de 19 de julho de 2019) entre 2019 e 2025, de acordo com dados publicados em abril pela consultora britânica GSMA Intelligence. O China Internet Report, editado pela empresa de consultoria chinesa Abacus, estima que os chineses terão 460 milhões de conexões de 5G até o fim de 2025, o equivalente a 28% do total de redes de conexão móvel no país.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Estações móveis da China Mobile, da China Unicom e da China Telecom, em Pequim” (Fonte): https://commons.wikimedia.org/w/index.php?sort=relevance&search=China+mobile&title=Special:Search&profile=advanced&fulltext=1&advancedSearch-current=%7B%7D&ns0=1&ns6=1&ns12=1&ns14=1&ns100=1&ns106=1&searchToken=cqyarasf2akkfnzbi6jczwvn3#%2Fmedia%2FFile%3AMobile_BST_IMG_5710_China_Mobile_China_Unicom.jpg

Imagem 2 Celular com tecnologia 5G da empresa chinesa ZTE” (Fonte): https://commons.wikimedia.org/wiki/File:5G_phone_-ZTE_Axon_10_Pro_5G(2).jpg#/media/File:5G_phone_-ZTE_Axon_10_Pro_5G(2).jpg

About author

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade de São Paulo (USP). Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Durante a graduação, foi bolsista do Programa Santander Universidades na Universidade de Coimbra, em Portugal. Integra o Grupo de Pesquisa Pensamento e Política no Brasil da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase nas linhas de pesquisa de Pensamento Político Brasileiro e de Relações Internacionais, atuando principalmente nos estudos sobre Política Doméstica e Externa da China, Segurança Internacional, Diplomacia e Diásporas Asiáticas. Associado à Midwest Political Science Association (MPSA).
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Especialistas independentes da ONU recomendam suspensão de Sanções a Estados durante a pandemia

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Avifavir: o antiviral russo contra a Covid-19

ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Em meio à pandemia global, exportações chinesas apresentam aumento inesperado no mês de julho

NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by