fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Outra nacionalização na Bolívia

O Governo boliviano anunciou no domingo, dia 10 de junho, por meio de declaração do ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, que nacionalizará a mineradora Colquiri, filial da empresa suíça Glencore. A corporação suíça já havia sofrido duas nacionalizações em 2007 e 2010 de empresas de fundições de metais, cujos casos foram levados à justiça. 

 

Morales está acelerando o processo de estatização da economia boliviana, tendo como objetivo garantir a implantação rápida do socialismo, usando da mesma estratégia acertada com Hugo Chávez na Venezuela. Analistas apontam que as medidas visam criar uma condição sem retorno, uma vez que criará uma classe de funcionários dependentes das ações estatais, os quais, por isso, serão obrigados a dar suporte aos políticos e partidos socialistas, em especial ao Partido do Presidente o “Movimento al Socialismo” (MAS).

A preocupação nesta atual estatização (nacionalização) está relacionada com as reações das Cooperativas, que, segundo o Governo não terão incluídas suas áreas, exceto se solicitarem. Contudo, os dirigentes da “Federação Nacional de Cooperativas de Mineiros” advertiram que não querem a nacionalização e anunciaram que se ela ocorrer nas sua área haverá bloqueios de estradas. Além disso, o líder Albino García declarou que, se ocorrer, haverá “um conflito nacional”*.

O diálogo ríspido demonstra que não há harmonia na administração de Morales, uma vez que, segundo a imprensa, este grupo é influente no Governo e tem grande capacidade de mobilização, explicando, talvez a necessidade que tem o mandatário de acelerar suas promessas de campanha e criar uma situação irreversível no país, embora os analistas apontem que um dos resultados possíveis seja uma revolta com participação de vários setores da sociedade, não descartando a fragmentação da Bolívia.

——————–

Fonte:

* Ver:

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5827969-EI294,00-Bolivia+anuncia+nacionalizacao+de+mineradora+da+empresa+suica+Glencore.html

About author

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!