ÁSIANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

[:pt]Paquistão convida Índia para discutir sobre a Caxemira[:]

[:pt]

Enquanto os holofotes do mundo destacam a reta final das Olimpíadas do Rio 2016, o noticiário asiático se divide entre esportes, disputas territoriais e outros assuntos ligados aos países que mantém relações tensas na região asiática. Este tema das relações entre os Estados cobre os quatro cantos do continente, com contenciosos de natureza semelhante aos que os chineses tem com os seus vizinhos, e raramente se vê uma nação longe desses assuntos. Neste universo se insere o caso de Índia e Paquistão, que continuam longe de uma solução sobre o futuro da Caxemira.

Diferentemente de outros casos de países que tem disputas territoriais na área, a Caxemira tem uma parte sob controle paquistanês e outra sob gerência indiana, com os problemas girando em torno da território sob controle de Nova Délhi. Esta área indiana tem a maioria da população de origem mulçumana e presencia manifestações constantes com o objetivo de se tornarem independentes do território da Índia, manifestações que nem sempre são pacíficas, muitas delas com ações consideradas atos terroristas por parte do Governo indiano.

Tais manifestações vem ganhando intensidade e estão aumentando nos últimos meses, após a morte de Burhan Muzaffar Wani, ativista de 22 anos, do grupo Hizbul Mujahideen, um dos grupos separatistas que lutam pela independência da região. O Governo indiano acusa o Paquistão de apoiar esses grupos, considerados organizações terroristas por Nova Délhi, complicando as relações diplomáticas entre Índia e Paquistão.

Com os últimos atos, cada vez mais espontâneos e mais fortes em todo o Estado de Jamu e Caxemira, o vice-ministro das Relações Exteriores do Paquistão, Aizaz Ahmad Chaudhry, convidou seu homólogo indiano, S. Jaishankar, a visitar Islamabad para iniciarem negociações com o objetivo de por fim ao caso. Os Paquistaneses aguardam uma resposta de Nova Délhi. Diversas conversas sobre a região já foram realizadas no passado, mas nunca houve uma ação efetiva para reduzir as tensões envolvendo os dois países e amenizar os grupos separatistas que agem na região.

———————————————————————————————–                    

ImagemLocalização do Estado de Jammu e Caxemira, na Índia” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jammu_e_Caxemira

———————————————————————————————–                    

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://br.sputniknews.com/mundo/20160815/6043393/paquistao-india-negociacoes-caxemira.html

[2] Ver:

http://www.euronews.com/2016/08/18/india-kashmiri-separatists-demand-un-intervention

[:]

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!