fbpx
ENERGIAMEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

Parlamento Alemão votará o fim do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha

O Acordo Nuclear Brasil-Alemanha, em vigor desde 1975, pode ser cancelado por Berlim, em 2015. O Partido Verde entrou com uma moção no Bundestag[1] (Câmara Baixa do Parlamento Alemão) pedindo o fim da cooperação bilateral no setor, alegando o Acordo que não condiz com a atual política para o setor na Alemanha, que está banindo aos poucos a energia atômica.

O Acordo entre os dois países foi assinado em 1975[2], com vigência inicial de 15 anos, podendo ser prorrogado automaticamente por períodos de cinco anos, caso nenhuma das partes manifestasse interesse em cancelá-lo. Até o momento, já foi estendido cinco vezes.

Para ser anulado, um dos países precisa manifestar o desejo de cancelamento um ano antes do fim da vigência. Se até 18 de novembro deste ano nenhum país manifestar oficialmente o desejo do fim do contrato, em novembro de 2015 ele será automaticamente renovado por mais cinco anos, por isso, o Partido Verde entrou com o pedido agora[1]. A moção será debatida e votada no próximo dia 6 de novembro e, para sua aprovação, a maioria dos deputados presentes no dia da votação precisa posicionar-se a favor do cancelamento.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 Wikipedia

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.dw.de/parlamento-alem%C3%A3o-votar%C3%A1-sobre-fim-de-acordo-nuclear-com-brasil/a-18010471

[2] Ver:

http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/AcordoNuclear

About author

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!