EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

A participação da OSCE no complexo diálogo securitário europeu

No dia 6 de junho de 2017, representantes dos países membros da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) se reuniram em Viena, Áustria, para a terceira rodada de discussões acerca dos desafios securitários que rondam a Europa na atualidade. A iniciativa foi batizada como Structured Dialogue on current and future security challenges (em tradução livre, “Diálogos Estruturados acerca dos desafios securitários presentes e futuros”). As discussões ocorrem na forma de grupo de trabalho, no qual os países são representados por seus embaixadores em Viena ou altos representantes designados especialmente para o debate proposto.

A primeira e a segunda rodadas tiveram como tema, respectivamente, o melhor entendimento acerca da percepção de ameaças e os desenvolvimentos recentes nas doutrinas militares. Já a terceira rodada, por sua vez, focou nas tendências e desenvolvimentos acerca da situação das forças militares. Esta rodada fechou a primeira fase da iniciativa, destinada a coletar elementos e temas relevantes para a segurança europeia do ponto de vista de cada país membro da OSCE.

No próximo mês de julho, durante a reunião de Ministros de Relações Exteriores dos países da Organização, esses temas serão compartilhados e organizados para compor a fase seguinte da iniciativa, prevista para ocorrer entre setembro e outubro do corrente ano (2017).

Debatedores em sessão no dia 19 de maio de 2017 realizada durante a Conferência OSCE Security Days

Esta iniciativa se encaixa no âmbito das atividades de coordenação político-militar conduzidas pela OSCE, constituindo-se como mais uma ação da Presidência austríaca da Instituição para fomentar o desenvolvimento de um ambiente de confiança mútua no âmbito europeu. Outro exemplo desta postura austríaca ocorreu no mês passado (maio), quando a OSCE, atenta ao clima de acirramento crescente na política internacional – com diversos rebatimentos sobre a Europa – realizou o evento OSCE Security Days, cujo foco foi contribuir para a criação de um ambiente securitário estável e resiliente na Europa.

Esta postura da Organização para Segurança e Cooperação na Europa denota complementaridade, ainda que em esferas diferentes, com os esforços já em curso no âmbito da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e da União Europeia (UE) para lidar com as crescentes tensões que pairam sobre a Europa devido aos desentendimentos com a Rússia (que é membro da OSCE), às ameaças terroristas e às migrações em massa. Neste front triplo, formado por essas instâncias multilaterais, a OSCE está contribuindo com o papel de articulação e fomento ao compartilhamento de informações.

Esta postura é particularmente relevante no momento atual, uma vez que os diálogos OTAN-Rússia e UE-Rússia têm enfrentando sérias dificuldades na esfera securitária. Este canal de diálogo pode, eventualmente, tornar-se um meio útil para lidar com tensões oriundas de mal-entendidos e informações desencontradas que poderiam escalar para atritos mais graves e desestabilizadores no cenário europeu.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Participantes da terceira rodada dos Diálogos Estruturados (OSCE/Julia Shropshire)” (Fonte):

http://www.osce.org/forum-for-security-cooperation/321651?download=true

Imagem 2 Debatedores em sessão no dia 19 de maio de 2017 realizada durante a Conferência OSCE Security Days (OSCE/Lubomir Kotek)” (Fonte):

http://www.osce.org/secretariat/318386?download=true

About author

Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e mestre em Política Internacional e Comparada pela Universidade de Brasília (UnB). Possui experiência acadêmica nas áreas de governança internacional, estudos europeus e regimes internacionais. Atualmente é Analista de Relações Internacional na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com atuação nas áreas de articulação, desenvolvimento e cooperação internacional. Principais ramos de atuação: Relações Internacionais, Políticas Globais, Europa, Cooperação Técnica e Cooperação Científica.
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Egito, Etiópia e Sudão: desavenças pela maior hidrelétrica da África

DEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

Índia procura fortalecer defesas aéreas para se equiparar à China, em meio a tensões na fronteira

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Crise oriunda da COVID-19 poderá lançar até 326 mil crianças ao trabalho infantil

MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

ONU celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente em meio à Pandemia

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by