EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

A participação da OSCE no complexo diálogo securitário europeu

No dia 6 de junho de 2017, representantes dos países membros da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) se reuniram em Viena, Áustria, para a terceira rodada de discussões acerca dos desafios securitários que rondam a Europa na atualidade. A iniciativa foi batizada como Structured Dialogue on current and future security challenges (em tradução livre, “Diálogos Estruturados acerca dos desafios securitários presentes e futuros”). As discussões ocorrem na forma de grupo de trabalho, no qual os países são representados por seus embaixadores em Viena ou altos representantes designados especialmente para o debate proposto.

A primeira e a segunda rodadas tiveram como tema, respectivamente, o melhor entendimento acerca da percepção de ameaças e os desenvolvimentos recentes nas doutrinas militares. Já a terceira rodada, por sua vez, focou nas tendências e desenvolvimentos acerca da situação das forças militares. Esta rodada fechou a primeira fase da iniciativa, destinada a coletar elementos e temas relevantes para a segurança europeia do ponto de vista de cada país membro da OSCE.

No próximo mês de julho, durante a reunião de Ministros de Relações Exteriores dos países da Organização, esses temas serão compartilhados e organizados para compor a fase seguinte da iniciativa, prevista para ocorrer entre setembro e outubro do corrente ano (2017).

Debatedores em sessão no dia 19 de maio de 2017 realizada durante a Conferência OSCE Security Days

Esta iniciativa se encaixa no âmbito das atividades de coordenação político-militar conduzidas pela OSCE, constituindo-se como mais uma ação da Presidência austríaca da Instituição para fomentar o desenvolvimento de um ambiente de confiança mútua no âmbito europeu. Outro exemplo desta postura austríaca ocorreu no mês passado (maio), quando a OSCE, atenta ao clima de acirramento crescente na política internacional – com diversos rebatimentos sobre a Europa – realizou o evento OSCE Security Days, cujo foco foi contribuir para a criação de um ambiente securitário estável e resiliente na Europa.

Esta postura da Organização para Segurança e Cooperação na Europa denota complementaridade, ainda que em esferas diferentes, com os esforços já em curso no âmbito da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e da União Europeia (UE) para lidar com as crescentes tensões que pairam sobre a Europa devido aos desentendimentos com a Rússia (que é membro da OSCE), às ameaças terroristas e às migrações em massa. Neste front triplo, formado por essas instâncias multilaterais, a OSCE está contribuindo com o papel de articulação e fomento ao compartilhamento de informações.

Esta postura é particularmente relevante no momento atual, uma vez que os diálogos OTAN-Rússia e UE-Rússia têm enfrentando sérias dificuldades na esfera securitária. Este canal de diálogo pode, eventualmente, tornar-se um meio útil para lidar com tensões oriundas de mal-entendidos e informações desencontradas que poderiam escalar para atritos mais graves e desestabilizadores no cenário europeu.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Participantes da terceira rodada dos Diálogos Estruturados (OSCE/Julia Shropshire)” (Fonte):

http://www.osce.org/forum-for-security-cooperation/321651?download=true

Imagem 2 Debatedores em sessão no dia 19 de maio de 2017 realizada durante a Conferência OSCE Security Days (OSCE/Lubomir Kotek)” (Fonte):

http://www.osce.org/secretariat/318386?download=true

About author

Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e mestre em Política Internacional e Comparada pela Universidade de Brasília (UnB). Possui experiência acadêmica nas áreas de governança internacional, estudos europeus e regimes internacionais. Atualmente é Analista de Relações Internacional na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com atuação nas áreas de articulação, desenvolvimento e cooperação internacional. Principais ramos de atuação: Relações Internacionais, Políticas Globais, Europa, Cooperação Técnica e Cooperação Científica.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!