Agora nossos podcasts também estão no Spotify e Deezer. Em breve voltaremos  com os áudios! Para receber nossas atualizações em seu whatsapp clique no botão ao lado ou envie um whatsapp com seu nome, cidade/estado para 11 35682472

AMÉRICA LATINAÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Peru firma acordo de promoção turística com a Malásia

O Ministério de Relações Exteriores do Peru informou que foi assinado, em abril de 2019, um Memorando de Entendimento (MoU, de Memorandum of Understanding, em inglês) com a Malásia, para promoção turística de ambos os destinos. O acordo faz parte de um conjunto de ações e campanhas que estão sendo empreendidas pelo Governo de Lima para aumentar o ingresso de turistas no país andino.

Para este ano de 2019, o Ministério de Comércio Exterior e Turismo (Mincetur) estima que o país receberá cerca de 4,7 milhões de turistas estrangeiros, ou seja, 9% a mais que no ano de 2018.  A meta do Mincetur é chegar a 5,6 milhões de visitantes internacionais em 2021, o que representaria um ingresso de 6 bilhões de dólares (cerca de 23,63 bilhões de reais ao câmbio de 7 de maio de 2019).

Os mais de 1,102 milhão de visitantes recebidos no primeiro trimestre de 2019 reforçam este otimismo, pois, segundo o ministro Edgar Vásquez, houve um incremento de 2,1% sobre igual período de 2018. Setenta por cento dos turistas são oriundos de doze países: Alemanha, Austrália, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Equador, EUA, França e Holanda. Na estatística por bloco, os parceiros do Peru na Aliança do Pacífico (Chile, Colômbia e México) apresentaram aumento de 4% e somaram pouco mais de 39% dos desembarques.

No período de 17 a 20 de maio de 2019, quando ocorrerá o Peru Travel Mart, maior evento de turismo  do país, cerca de 70 empresários turísticos do Canadá, Chile, Colômbia, EUA, França e México visitarão destinos tradicionais e novos de nove regiões. De acordo com estudos da Comissão de Promoção do Peru para Exportação e Turismo (Promperú) o turismo cultural é o objetivo de 90% dos viajantes que chegam e as regiões mais visitadas são: 1) Lima (onde fica a capital) com 100%; 2) Cuzco (onde ficam Cuzco e Machu Picchu) com 85% e; 3) Puno (onde ficam Puno e o Lago Titicaca) com 31%.

Imagem da campanha Peru, o país mais rico do mundo

Análises de marca país, tais como a Nation Brands 2018, da empresa de consultoria Brand Finance, mostram o Peru como 6º colocado dentre os latino-americanos, já o Country Brand Report 2017-2018 coloca os peruanos em 5º lugar. No quesito segurança e ausência de conflitos, analisado pelo Global Peace Index 2018, a 74ª posição no ranking mundial de 163 nações, é muito melhor que a da Colômbia (145ª), que  inclusive já foi objeto de Nota Analítica no Ceiri News.

A Organização Mundial de Turismo da ONU (UNWTO, em inglês) divulgou em janeiro de 2019 que a chegada de turistas internacionais no mundo aumentou 6% em 2018, alcançando 1,4 bilhão, dois anos antes do previsto, que era 2020. As médias por região foram: Américas (3%); África (7%); Ásia-Pacífico (6%); Europa (6%) e Oriente Médio (10%). O Anexo Estatístico da publicação Barômetro do Turismo Mundial da UNWTO mostra, com base em 2017, que a Malásia recebeu 6 vezes mais visitantes e mais receita que o Peru.

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, em inglês) informa em relatório por país que pode ser solicitado no site que os impactos, tanto direto, quanto indireto e total, do segmento de turismo no PIB do Peru são maiores que dos setores automotivo, químico e bancário. Quanto à geração de empregos, o turismo só perde para a construção, o varejo e o agronegócio. O WTCC estima que na próxima década o setor de turismo peruano crescerá a uma taxa anual de 5,5%, mais que os 3,8% de média da economia nacional como um todo e somente superada pelos 5,7% do setor financeiro.

Conforme se pode observar, os peruanos estão apostando no futuro promissor deste mercado. Além disso, ao assinar o MoU com a Malaysian Association of Tour and Travel Agents (MATTA), que representa mais de 3.400 agentes de viagens malaios, o Peru pode se beneficiar de duas formas: fazendo benchmarking com um destino turístico que está entre os Top 15 em número de turistas estrangeiros recebidos e Top 20 em volume de receita em dólares; e atrair turistas de um país que está entre os 30 que mais gastam com viagens e turismo.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Representantes do Peru e da Malásia na assinatura do MoU” (Fonte): https://cdn.www.gob.pe/uploads/document/file/308606/standard_matta_canatur_mou2.jpg

Imagem 2 Imagem da campanha Peru, o país mais rico do mundo” (Fonte): https://scontent.fssa17-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/35240226_1751408928285161_4582436990493917184_n.jpg?_nc_cat=102&_nc_ht=scontent.fssa17-1.fna&oh=45461dc3b20d9e2e1239f4b4572d9e2c&oe=5D368329

About author

Mestre e especialista em relações internacionais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), especialista em Política e Estratégia pelo programa da ESG (UNEB, ADESG/BA), bacharel em Administração pela Universidade Católica do Salvador (UCSal). Consultor e palestrante de Comércio Exterior.
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Aliança para melhorar gestão de recursos hídricos nas cidades latino-americanas

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

A reaparição de al-Baghdadi e o futuro do Estado Islâmico

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Defesa como pauta em Cabo Verde

NOTAS ANALÍTICASTecnologia

A relação do Facebook nas eleições dinamarquesas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by