NOTAS ANALÍTICASSociedade Internacional

Pesquisa revela que filhos de estrangeiros nascidos no Reino Unido sentem mais discriminação

O Observatório de Imigração da Universidade de Oxford (Migration Observatory) divulgou no dia 20 de janeiro de 2020 o resultado de uma pesquisa* sobre os imigrantes e a discriminação no Reino Unido. Um dos dados que mais chama a atenção é que, entre os adultos entrevistados, 30% dos filhos de imigrantes que nasceram e cresceram no país se sentem discriminados por conta de sua cor/raça, nacionalidade, religião, língua ou etnia. Por outro lado, entre os estrangeiros criados fora, apenas 16% disseram sofrer discriminação.

Pesquisa sobre a percepção da discriminação sofrida por imigrantes no Reino Unido

Apesar de terem crescido no país, falarem inglês fluentemente e serem acostumados com a cultura britânica, os filhos de imigrantes tendem a sentir mais preconceito do que adultos da mesma idade que não nasceram e cresceram no país. Em entrevista para a BBC, a doutora em sociologia Marina Fernandez-Reino, uma das líderes da pesquisa, explica que os nascidos em solo britânico possuem expectativas maiores e são mais sensíveis a qualquer tipo de tratamento desigual que possam encontrar. Já os adultos criados no exterior tendem a fazer uma comparação com a experiência vivida no país de origem e sentem que os benefícios por terem se mudado são maiores do que qualquer desvantagem.

A experiência dos imigrantes no Reino unido entre 2015 à 2017

A pesquisa também mostrou que imigrantes que vêm de fora da União Europeia se sentem mais discriminados (19%) do que os europeus (8%). Porém, no geral, os estrangeiros acreditam que o Reino Unido é um lugar hospitaleiro e receptivo (72%).

Ranking das nacionalidades de estrangeiros residentes na Inglaterra

Estima-se que no país vivam cerca de 9,4 milhões de pessoas nascidas no estrangeiro, cerca de 15% do total da população de 65,8 milhões. Destes, 6 milhões não possuem a nacionalidade britânica. Segundo os dados do Órgão Nacional de Estatística (Office of National Statistics), nascidos na Índia aparecem em primeiro lugar (cerca de 837 mil), seguido pela Polônia (827 mil) e Paquistão (533 mil). O Brasil aparece em 26º, com 95 mil pessoas.    

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

* Os dados foram tomados com base nas pesquisas European Social Survey (ESS) e UK Longitudinal Household Survey (UKLHS). Maiores detalhes no site: https://migrationobservatory.ox.ac.uk/resources/briefings/migrants-and-discrimination-in-the-uk/

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Definição de discriminação” (Fonte): https://www.thebluediamondgallery.com/highlighted/d/discrimination.html

Imagem 2Pesquisa sobre a percepção da discriminação sofrida por imigrantes no Reino Unido” (Fonte): https://migrationobservatory.ox.ac.uk/resources/briefings/migrants-and-discrimination-in-the-uk/

Imagem 3A experiência dos imigrantes no Reino unido entre 2015 à 2017” (Fonte): https://migrationobservatory.ox.ac.uk/resources/briefings/migrants-and-discrimination-in-the-uk/

Imagem 4Ranking das nacionalidades de estrangeiros residentes na Inglaterra” (Fonte): https://www.ons.gov.uk/peoplepopulationandcommunity/populationandmigration/internationalmigration/datasets/populationoftheunitedkingdombycountryofbirthandnationality

About author

MA em International Relations and Democratic Politics pela University of Westminster, Londres (2016-2017). Graduado em Relações Internacionais pelas Faculdades Integradas Rio Branco (2013). Reside a 5 anos na Inglaterra. Atualmente trabalha para a Comissão Aeronáutica Brasileira na Europa. Possui interesse na área de Integração Europeia, Política Exterior Brasileira e Cristianismo e Relações Internacionais.
Related posts
MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Egito, Etiópia e Sudão: desavenças pela maior hidrelétrica da África

DEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

Índia procura fortalecer defesas aéreas para se equiparar à China, em meio a tensões na fronteira

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Crise oriunda da COVID-19 poderá lançar até 326 mil crianças ao trabalho infantil

MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

ONU celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente em meio à Pandemia

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by