fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Economia asiática com expectativas de recuperação

Os países asiáticos vêm sofrendo altos e baixos em suas economias. Como exemplo, o Japão, que está em processo de reformulação de seus gabinetes e, ontem, dia 15 de setembro, teve confirmada a continuidade de Hirohisa Fujii, como ministro das finanças, está acompanhando o anúncio da Japan Airlines de demitir 6.800 pessoas e buscar alianças para se manter no mercado.

 

Apesar desses fatores que denotam uma desestabilização no país, acentuada pela crise econômica internacional e a provisória indefinição política, a bolsa Nikkei de Tóquio obteve resultado positivo, com alta de 0,15 % e 10.217 pontos. Hirohisa Fujii informou que este resultado positivo da bolsa nipônica não deverá interferir na estabilidade ou instabilidade dos mercados asiáticos.

Já a China, desde a semana passada, enfrenta a questão da barreira tarifária imposta pelos Estados Unidos às importações de pneus chineses, ocasionando a queda das exportações do produto.

O impasse com os norte-americanos, no entanto, não afetou “os ânimos” da bolsa de Xangai, que obteve resultado positivo, com um aumento de 0,23%, subindo seus pontos para 3.033. Só não teve maiores ganhos devido ao tufão que atingiu Hong Kong e Macau, o qual fez com que a bolsa de Hong Kong se mantivesse fechada.

O destaque da semana da região asiática foi à alta das bolsas de Taiwan e Coréia do Sul, que tiveram os maiores resultados nos últimos catorze meses. A Bolsa de Seul obteve resultados positivos de 1,13% e 1.653 pontos e a Taiex, bolsa taiwanesa, obteve 1,23%, com 7.346 pontos, superando os resultados regionais.

Dessa forma, a economia asiática demonstra sinais positivos, ainda que tímidos, de recuperação, imprescindível para a re-estabilização da economia global.

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!