fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Morales usa de vários mecanismos para manter vantagem sobre os adversários

O presidente da Bolívia, Evo Morales, está usando de diversos meios para manter a vantagem sobre os seus adversários na corrida presidencial, cujo pleito ocorrerá no dia 6 de dezembro de 2009. Nestas eleições gerais, além de Presidente da República, também serão eleitos o Vice-Presidente, 36 Senadores e 130 Deputados.

 

Dentre os meios que o atual presidente está usando, tem sido anunciada a doação de dinheiro para famílias pobres, com gastos de US$ 320 milhões por ano, subsidiando os pais das crianças para manterem seus filhos nas escolas; persuadindo as mulheres grávidas a fazerem exames constantes e para reduzir a mortalidade infantil. Além disso, recebeu, a título de doação, US$ 200 milhões de Hugo Chávez, os quais foram investidos nestes “projetos sociais”.

Morales tem dito que este dinheiro decorre das nacionalizações realizadas no início de seu governo, as quais, embora levassem à perda de investimentos estrangeiros imediatos, garantiram um acúmulo de divisas ao país. 

Em seu discurso, tem afirmado que, anteriormente, a Bolívia recebia apenas US$ 300 milhões anuais pela exploração e comercialização dos hidrocarbonetos e seus derivados, como o gás, já em 2009, registrou US$ 2 bilhões.

O cerne do argumento é que precisa de mais tempo para dar continuidade às mudanças que tem realizado, objetivando “transformar a Bolívia numa das nações mais importantes da região”.

A oposição, por sua vez, acusa Morales de estar usando o dinheiro obtido no exterior, dentre eles a doação de Hugo Chávez, para comprar votos, ao invés de investir em setores produtivos, por isso, cedo ou tarde ocorrerá o esgotamento do seu modelo de ação. No entanto, agregado a essa tática, Morales tem realizado acordos externos, dentre eles, com os russos, que trarão gigantescos investimentos ao seu país.

O principal componente de sua campanha, no entanto, tem sido a auto-identificação com a população mais pobre do país, da qual ele é originário. Esse tem sido o fator determinante e, sabendo da vantagem que tem, não deixa de visitar regiões distantes e os povoados pobres, consolidando sua imagem como homem do povo.

Dificilmente a oposição conseguirá reverter o quadro, por isso, não será surpresa se ela investir na manutenção da maioria que ainda detém no Senado boliviano, mas também está próxima de ser perdida, graças a propaganda eleitoral do partido MAS (Movimiento al Socialismo / Movimento para o Socialismo), partido de Morales. 

About author

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!