fbpx
NOTAS ANALÍTICAS

Voto de censura pelo Senado contra a política governamental da Primeira Ministra haitiana

O Senado haitiano, controlado pela maioria presidencial, adotou um voto de censura contra a Primeira Ministra, Michele Duvivier Pierre Louis, que não se apresentou, argumentando a falta de precisão e explicação nos motivos da interpelação.

 

É importante destacar que esta reunião se caracterizou por intensos e conflituosos debates entre opositores e simpatizantes da interpelação. O voto se realizou na ausência dos senadores opositores que deixaram a sala e denunciaram a inconstitucionalidade do voto, apoiando a limitação dos poderes do corpo legislativo em sessão extraordinária. Ou seja, as Câmaras têm que trabalhar sobre a pauta apresentada pelo poder executivo e a interpelação não foi apresentada no marco desta pauta.

Neste sentido, os senadores opositores vão enviar uma carta para solicitar à Primeira Ministra que ignore o voto majoritário e siga em suas funções. Por sua parte, os senadores da maioria presidencial adotaram uma resolução para informar ao Presidente da decisão da câmara Alta e realizar novas consultas com os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, para designar outro Primeiro Ministro.

O embaixador entadunidense disse que irá respeitar o voto majoritário e tem grandes preocupações pela governabilidade e estabilidade do país, em um momento que muitos investidores estão verificando a possibilidade de instalar-se no Haiti.

Para a opinião pública haitiana, muito preocupada pelo futuro do país a menos de um ano da organização das eleições presidenciais, o presidente Preval está tomando o controle total e absoluto das instituições, [como forma de] assegurar a perpetuação do atual regime no poder, por meio de eleições truncadas e sem [grande] participação, como a última do mês de abril deste ano, para renovar o Senado, [que teve] uma taxa de participação estimada em menos de 5%.

 

ORIGINAL

 

POLÍTICA INTERNACIONAL – Voto de censura por el senado en contra de la política gubernamental de la Primera Ministra Haitiana

 

El senado haitiano, controlado por la mayoría presidencial, ha adoptado un voto de censura en contra de la Primera Ministra, Michele Duvivier Pierre Louis quien no se ha presentado, argumentando  la falta de precisión y explicación  en  los motivos de esta interpelación.

Es importante destacar que esta reunión se ha caracterizado por intensas y conflictivos debate entre opositores y simpatizantes de la interpelación. El voto se ha realizado en ausencia de los  senadores opositores quienes han dejado la sala y  han denunciado la inconstitucionalidad del voto apoyando sobre la limitación de los poderes del cuerpo legislativo en sesión extraordinaria.   Es decir, las cámaras tienen que trabajar sobre el menú presentado por el poder ejecutivo y   la interpelación no ha sido presente en el marco de este  menú. 

En este sentido, los senadores opositores  van a dirigir una carta para demandar a la Primera Ministra de ignorar el voto mayoritario y seguir en sus funciones. Por su parte, les senadores de la  mayoría presidencial han adoptado una resolución para informar al Presidente de la decisión de la Cámara Alta y realizar nuevos consultas con los presidentes del Senado y de la Cámara de Diputado para designar otro Primer Ministro. 

El Embajador estadounidense quien dijo respectar el voto mayoritario, tiene grandes preocupaciones por la gobernabilidad y la estabilidad del país en un momento donde muchos inversionistas están explorados la posibilidad de instalarse en Haití. Para la opinión publica haitiana muy preocupada por el futuro político del país a menos de un ano de la organización de las elecciones presidenciales, el Presidente Preval esta tomando el control total y absoluto de las instituciones para asegurar la perpetuación del actual régimen al poder a través de elecciones trucadas y sin participación como la ultima del mes de abril de este ano para renovar el senado con una tasa de participación estimada a menos de 5%.

About author

De nacionalidade haitiana, é formado em Marketing pela Universidad Interamericana de Santo Domingo, possui Pós-Graduação em Gestão de Projetos Sociais pela Universidad Autónoma de Santo Domingo e Mestrado em Economia pela Universidad Internacional de Andalucía (Espanha). É graduado no Curso de Gerenciamento Social do Instituto de Desenvolvimento Social (INDES) do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em Washington, e do curso Gestão Estratégica do Desenvolvimento Social e Regional da Comissão Econômica para América Latina (CEPAL) em Santiago do Chile. Tem experiência como Gerente de Marketing em diversas empresas privadas e trabalhou como consultor em Desenvolvimento Comunitário do Ministério de Obras Públicas do Haiti e em diversos projetos de desenvolvimento.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!