FÓRUNS INTERNACIONAISNOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Primeiro-Ministro de Portugal defende orientação econômica coletiva para todos os membros do espaço lusófono (CPLP)

O Primeiro-Ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, no Encontro de Bancos, Seguradoras e Setor Financeiro[1] da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), afirmou que a economia assume um papel cada vez mais central na atuação da Organização e está se constituindo em uma de suas maiores oportunidades.

Passos lembrou que neste ano (2014), em que a CPLP celebra 18 anos, ela vem transcendendo os três pilares originais de sua criação[2]: (1) entendimento político-diplomático, (2) cooperação para o desenvolvimento e (3) difusão da língua portuguesa.

Para o Primeiro-Ministro português isso se deve a fatores como: os mais de 240 milhões de habitantes nos oito países membros; os mais de 10 milhões de quilômetros quadrados de território; a mesma extensão de zonas econômicas exclusivas marítimas; o fato de representar 4% do comércio mundial; produzir 6% do petróleo mundial e 1% do gás mundial, além de, nos últimos anos, a maioria das descobertas de petróleo e gás no mundo terem sido feitas nos países da CPLP; além disso, vem transcendendo também porque, nas próximas décadas, entre 15% e 20% da produção de energia do mundo será feita no âmbito dos países membros desse espaço lusófono.

Ele alertou que a CPLP deve estar preparada “para explorar essa dinâmica de crescimento numa lógica de fazer negócios na língua portuguesa[1]. Como grande potencial que deve ser mais enfatizado, Passos indica a “dimensão energética[1], uma vez que 25% de todas as novas descobertas de petróleo e gás desde 2005 foram feitas em países lusófonos (Brasil, Moçambique e Angola). Timor-Leste, que também apresenta “um elevado potencial no âmbito dos hidrocarbonetos[1], tem procurado fomentar a lusofonia energética, sugerindo a eventual constituição de um consórcio de empresas lusófonas para explorar reservas existentes.

—————————————————

Imagem (Fonte):

 Wikipedia

—————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://mundolusiada.com.br/cplp/economia-assume-um-papel-cada-vez-mais-central-na-lusofonia-diz-passos-coelho/

[2] Ver:

http://www.ionline.pt/iopiniao/leis-poder-propostas-uma-nova-visao-estrategica-da-cplp/pag/-1

About author

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China lança plano de transformar Shenzhen em “motor central” de reforma

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Impacto da COVID-19 na educação é tema de Relatório das Nações Unidas

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataque jihadista a civis deixa 25 mortos em Burkina Faso

ANÁLISES DE CONJUNTURANOTAS ANALÍTICAS

COMUNICADO CEIRI NEWS DE 12 DE OUTUBRO

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!