EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

[:pt]Protestos de Mitrovica são lembrados na Sérvia e no Kosovo[:]

[:pt]

Em março do ano de 2004 ocorreu uma onda de violência no Kosovo, especificamente na cidade de Mitrovica, na forma de diversos protestos civis, frente a um episódio de afogamento de três crianças albanesas no rio da cidade. Uma enorme multidão cercou monumentos e prédios históricos sérvios da cidade, vandalizando muitas das construções públicas, envolvendo inclusive a queima de igrejas ortodoxas. O mote dos protestos era o desejo da população pela punição do culpado pelo episódio, o qual foi identificado em um cidadão sérvio pelos cidadãos kosovares. Os protestos resultaram na realocação de vários indivíduos de ambas etnias e na morte de 19 pessoas, oito delas de origem étnica sérvia e onze delas de traços étnicos albaneses – etnia majoritária no Kosovo. O movimento, que à época foi chamado de “o pior caso de violência étnica na região, desde a Guerra do Kosovo, em 1999”, obteve a intervenção de forças internacionais de paz das Nações Unidas e da OTAN, com a intenção de encerrar os conflitos.

No último dia 17 de março, na ocorrência do aniversário de 13 anos dos protestos, escolas sérvias realizaram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas e ao patrimônio de herança cultural sérvia destruído no episódio. O atual Presidente kosovar, Hashim Thaci, em entrevista, declarou: “aquilo não deveria ter acontecido, a queima de igrejas. (…) continuo pessoalmente envergonhado pelo ato, (…) quem fez isto deve ser punido, já que não é uma tradição albanesa pôr em perigo a cultura de outrem”.

Oficiais do Governo sérvio no Kosovo participaram de uma cerimônia no mosteiro ortodoxo de Gracanica, região central do Kosovo, e também prestaram homenagens aos vitimados na ocasião.  O diretor do escritório do Governo sérvio no Kosovo, Ljuboromir Maric, afirmou aos presentes que os “sérvios estão unidos, mais do que nunca, tendo o apoio do Estado sérvio, (…) violências, tempestades e outros crimes não acontecerão mais”, referindo-se às práticas de violência de cunho étnico.

A relação entre Kosovo e Sérvia tem tido seus altos e baixos desde que os kosovares se autodeclararam independentes no ano de 2008 e buscam reconhecimento da Comunidade Internacional. Recentemente, o Kosovo obteve reconhecimento de instituições internacionais como o Comitê Olímpico Internacional (COI), a Federação Internacional de Futebol (FIFA) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A minoria étnica sérvia que vive na região, conjuntamente com o Governo sérvio, é totalmente contrária à secessão da região sul do Estado, bem como a qualquer tentativa de atribuir a esta região a condição de Estado soberano.

———————————————————————————————–                    

Imagem1 Ponte do rio Ibar que divide a cidade de Mitrovica” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Mitrovica,_Kosovo#/media/File:Pont_%22AUSTERLITZ%22_Mitrovica.JPG

Imagem2 Monumento às vítimas sérvias da Guerra do Kosovo” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Mitrovica,_Kosovo#/media/File:Monument_to_Serbs_Killed_in_Kosovo_since_1990s_-_Mitrovica_(Serb_Side)_-_Kosovo.jpg

[:]

About author

Mestrando em Ciências Sociais pela PUC-RS. Bacharel em Relações Internacionais (2014), pelo Centro Universitário Univates de Lajeado - RS, realizou estudos em Segurança Internacional na Högskolan i Halmstad em Halmstad, Suécia (2013). Áreas de interesse em pesquisa são em Política Internacional, Segurança Internacional, Península Balcânica e etnias nas Relações Internacionais.'
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Irã emite Mandado de Prisão de Donald Trump e pede apoio à Interpol

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Turquia inaugura julgamento à revelia de 20 sauditas por assassinato de Khashoggi

MEIO AMBIENTENOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICAS

Egito, Etiópia e Sudão: desavenças pela maior hidrelétrica da África

DEFESANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

Índia procura fortalecer defesas aéreas para se equiparar à China, em meio a tensões na fronteira

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by