AMÉRICA DO NORTEEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Putin acusa o Ocidente de desestabilizar a Rússia

Após um hiato de um pouco mais de onze dias sem nenhuma forma de manifestação pública, o Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, declarou que o Ocidente* estaria interferindo na política doméstica de seu país objetivando a criação de umaagitação internapara desestabilizar a sociedade russa.

Em seu primeiro discurso sobre a política externa da Rússia em mais de um mês, Putin afirmou ao seu serviço de inteligência, a FSB, que o Ocidenteestá usando de todo o seu arsenal de meios para a, assim chamada, dissuasão da Rússia: através de operações a partir de tentativas de isolamento político e por meio de pressão econômica, bem como uma grande escalada na guerra de informação e serviços especiais[1].

Para o presidente Putin, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) está violando a paridade nuclear existente ao intensificar a construção de sua “infraestrutura” cada vez mais próxima às fronteiras russas, além da intensificação na proposta de criação de um escudo antimíssil na região.

Os recentes avanços da OTAN são consequências diretas do relatório final estabelecido na última cúpula da organização, em setembro de 2014[2], que estipulou a criação de uma força de resposta rápida contra qualquer agressão por parte da Rússia aos países da região báltica.

Ainda em sua fala, Putin afirmou que Forças Especiais à serviço do Ocidente estariam agindo em território russo, através de organizações não-governamentais, com a finalidade de “desacreditar a autoridade russa e desestabilizar a situação interna[1] do país. O Presidente enfatizou que o Serviço de Inteligência Russo está olhando atentamente para todas as organizações não-governamentais atuantes no país que possuem fontes de financiamento externo, para evitar qualquer intromissão do Ocidente na Rússia.

————————————————————————————

* Vale ressaltar que o uso do termo Ocidente pela política externa russa está geralmente associado ao conjunto dos países europeus mais os Estados Unidos da América.

————————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/cf/Vladimir_Putin-6.jpg

————————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

https://euobserver.com/foreign/128173

[2] Ver:

https://www.gov.uk/government/publications/nato-summit-2014-wales-summit-declaration/the-wales-declaration-on-the-transatlantic-bond

About author

Mestrando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (Usp); Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Puc-SP). Colaborador do Núcleo de Análise da Conjuntura Internacional (NACI) e do Núcleo de Estudos de Política, História e Cultura (Polithicult). Experiência profissional como consultor de negócios internacionais. Atua nas áreas de Política Internacional, Integração Europeia, Negócios Internacionais e Segurança Internacional. No CEIRI NEWSPAPER é o Coordenador do Grupo Europa.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China lança plano de transformar Shenzhen em “motor central” de reforma

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Impacto da COVID-19 na educação é tema de Relatório das Nações Unidas

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataque jihadista a civis deixa 25 mortos em Burkina Faso

ANÁLISES DE CONJUNTURANOTAS ANALÍTICAS

COMUNICADO CEIRI NEWS DE 12 DE OUTUBRO

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!