fbpx
EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Reconhecimento da Crimeia e as Coalizões Eurocéticas

No mês de julho deste ano (2015), dez parlamentares franceses considerados de centro-direita, liderados pelo ExMinistro dos Transportes, Thierry Mariani, realizaram uma visita de caráter oficial à República da Crimeia, na qual demonstraram apoio ao reconhecimento legal do Referendo para sua anexação à Federação Russa, ocorrido em março de 2014[1]. A visita dos parlamentares não foi reconhecida como oficial pelos Governos ucraniano e francês.

Mesmo com o mal-estar diplomático entre Ucrânia e França, parlamentares da Coalizão de Eurocéticos* da Polônia, se manifestam com interesse de realizar uma visita à Nova República da Rússia, pois, segundo o fundador e líder da CoalizãoJanusz Korwin, “quando os parlamentares franceses visitaram a República da Crimeia, eles praticamente reconheceram o atual status legal da região[2]. A visita deve ser marcada após as eleições, que terminam em 25 de outubro.

Analistas internacionais apontam que a participação de parlamentares de centro-direita dos países do Bloco Europeu, que adotam a perspectiva da diminuição do poder da União Europeia, tenderá a fazer da República da Crimeia um ponto forte para combater internamente a participação de seus países no Bloco, podendo gerar nas relações internacionais desconfortos diplomáticos semelhantes ao ocorrido entre a França e Ucrânia. Outros observadores interpretam ainda que mesmo que esse movimento se dê por interesses particulares dos grupos de parlamentares, ele acabará aproximando a opinião internacional a respeito da real circunstância da Crimeia, que é ser uma República da Federação Russa.

É preciso ressaltar que os principais motivos citados pela União Europeia para dar início, prorrogação e expansão das sanções contra Rússia foram os conflitos existentes no sudeste ucraniano, sobre os quais é alegado que não há transparência por parte da Rússia em relação ao seu envolvimento ou não neles. Em contrapartida, a Rússia declara cumprir o acordado no Tratado de Minsk, que o Governo da Ucrânia desconsidera semanalmente ao bombardear as regiões ocupadas pelos separatistas.

———————————————————————————————–

* Eurocéticos: Termo utilizado para definir quem é oposto ao crescimento do poder da União Europeia, em defesa da soberania nacional dos Estados Membros.

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://www.kyivpost.com/media/images/2015/07/24/p19r0a1eds7pmpjc1mbb44l6en4/original_big.JPG

———————————————————————————————–

Fontes Consultadas:

[1] VerFrench MPs defend controversial visit to Crimea” (Publicado em 23 de julho de 2015):

http://www.euronews.com/2015/07/23/french-mps-defend-controversial-visit-to-crimea/

[2] VerPolish lawmakers announce possible visit to Crimea” (Publicado em 14 de agosto de 2015):

http://www.rt.com/politics/312456-polish-lawmakers-announce-possible-visit/

About author

Pósgraduado em Ciência Política (IUPERJ) e Bacharel em Relações Internacionais (UCAM). Experiência profissional em Representação Comercial e atualmente Gerente de Projetos e Novos Negócios na Prefeitura do Rio de Janeiro. No CEIRI Newspaper escreve no grupo Europa desde março de 2013, em que desenvolve publicações com ênfase na Política Externa Russa.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!