BLOCOS REGIONAISEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONALPOLÍTICAS PÚBLICAS

[:pt]Resultados da Eleição na Sérvia são o estopim de semana de protestos[:]

[:pt]

Milhares de pessoas se reuniram nas ruas de Belgrado durante toda a última semana que sucedeu às eleições presidenciais sérvias, ocorridas no domingo, dia 2 de abril (2017). Os protestos, composto em sua maioria por jovens, têm sido realizados todos os dias desde a eleição, na qual o Primeiro-Ministro, Aleksandar Vucic (Partido Progressista), obteve 55% dos votos totais e acabou evitando um segundo turno. A indignação dos populares é pautada por requisições de recontagem dos votos e suspeitas de que fraudes tenham acontecido durante o último sufrágio.

Os manifestantes também demandaram a remoção da Presidente da Assembleia Nacional da Sérvia, Maja Gojkovic, pela alegada “obstrução do parlamento anterior à eleição que cortou e omitiu informações aos cidadãos sérvios e silenciou a oposição”, assim como a mudança na gestão da televisão estatal RTS pelos relatos enviesados que ela proporcionaria.

Uma recontagem de urnas foi requisitada à Comissão Eleitoral da República por grupos opositores, encabeçados pelo candidato independente Sasa Jankovic. Os votos de duas zonas de votação foram recontados em rede nacional de televisão, no último domingo, dia 9 de abril. Encorajada por Vucic, a recontagem mostrou quatro votos a menos do que os originalmente atribuídos àquela Seção Eleitoral, mas se mostra “improvável que as dúvidas da Oposição sejam totalmente sanadas”. De acordo com a equipe de Jankovic, um check-up dos documentos de 25 Assembleias de Voto levantou que, em 24 deles, havia irregularidades a favor de Vucic.

Membros da derrotada Oposição o colocam em uma moldura de “candidato autoritário”, relembrando o cargo de Vucic durante a Guerra do Kosovo, em 1999, como Ministro da Informação de Slobodan Milosevic, que, em sua posição, norteou políticas de supressão de informações à mídia sérvia sobre a guerra.

Vucic se defendeu das críticas em entrevista coletiva dada no último sábado, salientando que “nunca roubou nada” e que ONGs observadoras das eleições afirmaram que as irregularidades “não acarretariam na mudança do resultado final”. Logo após sua vitória, o Presidente eleito foi enquadrado como o “homem do Ocidente nos Bálcãs”, auferindo seu status de “melhor aposta” para a estabilização regional e ligações com a União Europeia.

———————————————————————————————–                    

Imagem 1 Protestos em praça de Belgrado reúnem manifestantes durante toda a última semana” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/40/B%C4%9Blehrad,_Trg_Republike,_protest_proti_ACTA_V.jpg

Imagem 2 Aleksandar Vucic é o novo Presidente da Sérvia” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Aleksandar_Vu%C4%8Di%C4%87#/media/File:Aleksandar_Vucic.jpg

[:]

About author

Mestrando em Ciências Sociais pela PUC-RS. Bacharel em Relações Internacionais (2014), pelo Centro Universitário Univates de Lajeado - RS, realizou estudos em Segurança Internacional na Högskolan i Halmstad em Halmstad, Suécia (2013). Áreas de interesse em pesquisa são em Política Internacional, Segurança Internacional, Península Balcânica e etnias nas Relações Internacionais.'
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China lança plano de transformar Shenzhen em “motor central” de reforma

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Impacto da COVID-19 na educação é tema de Relatório das Nações Unidas

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataque jihadista a civis deixa 25 mortos em Burkina Faso

ANÁLISES DE CONJUNTURANOTAS ANALÍTICAS

COMUNICADO CEIRI NEWS DE 12 DE OUTUBRO

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!