fbpx
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

“SciELO África do Sul” recebe certificação

Em 22 de julho de 2013, na capital sul-africana (Pretória), realizou-se um evento comemorativo da conquista de certificação do compêndio “SciELO South Africa, o qual se constitui em uma plataforma de acesso aberto ao público pesquisador interessado em buscar periódicos e revistas científicas do país.

Foram necessários quatro anos de intenso trabalho para que a plataforma obtivesse a referida e importante certificação, que atesta a alta qualidade dos trabalhos científicos por ela produzidos, uma vez que agora passa a ter o “carimbo” de atendimento aos altos critérios da “Rede Scientific Library Online” (SciELO), apoiada pela “Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo” (FAPESP).

O Evento contou com a presença de importantes autoridade do país, tais como o assessor do “Ministro do Departamento de Ciência e Tecnologia”, Khotso Mokhele; do “Presidente da Academia de Ciências da África do Sul” (Assaf, na sigla em inglês), Daya Reddy; do “Coordenador da Fundação Nacional de Pesquisa”, Albert van Jaarsveld; e do Embaixador do Brasil no país, Pedro Luiz Carneiro de Mendonça. A expectativa é de que a África do Sul venha a coordenar, no futuro,a disseminação da SciELO no continente africano[1], afirmou Abel Packer, coordenador do “Programa SciELO”.

A “África do Sul”, assim, torna-se o décimo primeiro país a receber certificação de suas revistas, entre os dezesseis que adotaram o modelo, dentre os quais se incluem: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Venezuela, Espanha e Portugal. E a expectativa é de que, tão logo a coleção “SciELO África do Sul” esteja “estabilizada”, o que significa dizer possuir o número de 100 periódicos, o país fará parte do bloco de Nações com a maior quantidade de obras credenciadas na rede, ao lado do Brasil, Argentina, Chile e México.

A certificação ocorre paralelamente às comemorações dos 15 anos da “Rede SciELO”, completados em 2013, as quais se darão entre os dias 22 e 25 de outubro em São Paulo, por meio de uma conferência internacional. Atualmente, a SciELO conta com 274 títulos e, diariamente, registra a média de 1,35 milhão de downloads, o que denota a importância da plataforma, especialmente no meio acadêmico.

Observadores apontam que essa é mais uma forma de a África do Sul mostrar seus diferenciais e vantagens comparativas perante o mundo, também no que se refere à pesquisa, estudo e produção científica, atestando a qualidade de muitos profissionais formadores de conhecimento.

——————–

Imagem (Fonte):

http://agencia.fapesp.br/17595

——————–

Fontes consultadas:

[1]Ver:

http://exame.abril.com.br/ciencia/noticias/scielo-africa-do-sul-obtem-certificacao?page=1

———————

Ver também:

http://agencia.fapesp.br/17595

About author

Advogado (Unicuritiba). Pós-Graduado pela mesma instituição, em Direito Internacional. Realizou curso de aperfeiçoamento em Negócios Internacionais ("International Trade") no Holmes Institute, em Melbourne (Austrália). Mestrando em Ciência Política pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atual membro da Comissão de Direito Internacional da OAB/PR.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!