ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Seis cidades chinesas representam mais de um quinto das vendas globais de carros elétricos

Um novo relatório publicado pela Bloomberg afirma que seis cidades chinesas contabilizam 21% das vendas globais de carros elétricos e 40% das vendas desta categoria de veículos na China. As principais empresas chinesas atuando nesse setor são: BYD, Beijing Electric Vehicle Corp,  ZhiDou, Shanghai Auto e Zotye. As cidades de Pequim, Shanghai, Shenzhen, Tianjin, Hangzhou e Cantão possuem regulações que dificultam a compra de carros movidos a gasolina. Para conseguir um veículo com motor movido à combustão, um cidadão deve entrar com um pedido de licença junto ao governo.

Made in China, feito na China

O exemplo da regulamentação supracitada certamente impõe uma limitação à liberdade individual e às opções de consumo de sua população. Por outro lado, a China está procurando reduzir a sua dependência energética de fontes poluentes, além de procurar enfrentar o problema endêmico da poluição nas grandes metrópoles. O fomento à utilização de carros elétricos poderá auxiliar no enfrentamento destas questões. Estima-se que o crescimento do mercado desses automóveis deslocará a demanda global por petróleo, produzindo uma redução no consumo diário, na ordem de 8 milhões de barris até o ano de 2040.

Outro estudo produzido pela mesma instituição prevê que, em oito anos, os carros elétricos terão o mesmo custo que os veículos movidos à combustão. As empresas chinesas que produzem as baterias à base de íons de lítio, utilizadas nesta modalidade de veículos, já representam cerca de 25% do mercado mundial. Este exemplo demonstra o efeito positivo do encadeamento entre empresas intermediárias que participam da cadeia global de automóveis.

A tecnologia está mudando os negócios

A Coreia do Sul representa 27% da produção de baterias de lítio destinadas para a utilização em veículos elétricos de leve porte, sendo que o Japão concentra 48% desse mercado. Estas informações reforçam a hipótese difundida na literatura especializada de que o eixo da economia global está progressivamente se deslocando rumo à Ásia, sobretudo no que diz respeito à esfera industrial e de manufaturas. A região representa atualmente 33,8% do PIB mundial e contribui com cerca de 60% do crescimento do PIB global.

Por fim, os desafios representados pela urbanização e pelo crescimento populacional reforçam a necessidade dos Estados asiáticos de enfrentar questões como a poluição e a mobilidade urbana. O estímulo à utilização de carros elétricos poderá auxiliar neste sentido. Não obstante, existem grandes desafios pela frente, visto que os veículos elétricos representam apenas 2% das vendas de carros realizadas pela China.  

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Carro elétrico da marca BYD, de origem chinesa” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3a/BYD_Qin_%28Auto_Shanghai_2013%29.JPG

Imagem 2Made in China, feito na China” (Fonte):

https://www.flickr.com/photos/twicepix/4437851857

Imagem 3 A tecnologia está mudando os negócios” (Fonte):

https://i.vimeocdn.com/video/498469360_1280x720.jpg

About author

Mestrando em Estudos Contemporâneos da China pela Renmin University of China (RUC) e pesquisador afiliado pela Silk Road School. Mestre em Relações Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Possui especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Agente consular junto ao Consulado Honorário da França em Porto Alegre, atuando paralelamente no escritório RGF Propriedade Intelectual, no período de 2013-2016.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China lança plano de transformar Shenzhen em “motor central” de reforma

AGÊNCIAS DE COOPERAÇÃOCOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Impacto da COVID-19 na educação é tema de Relatório das Nações Unidas

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ataque jihadista a civis deixa 25 mortos em Burkina Faso

ANÁLISES DE CONJUNTURANOTAS ANALÍTICAS

COMUNICADO CEIRI NEWS DE 12 DE OUTUBRO

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!