NOTAS ANALÍTICAS

Crescimento de Moçambique pode superar a taxa de crescimento chinês, afirma Banco português

Os altos investimentos estrangeiros em Moçambique estão estimulando a economia do país, elevando-a a um ritmo acelerado, contra a tendência global. Para o Banco português BPI, esta aceleração poderá no futuro ficar  próxima ou ultrapassar o crescimento de seu grande financiador: a China.

Apesar de partir de uma base reduzida, o país poderá em breve assumir-se como uma das economias com maior crescimento econômico, conseguindo superar as taxas de crescimento registradas na China”*, afirma o relatório do Banco.

NOTAS ANALÍTICAS

Cooperação Taiwan-Indonésia

Taiwan e Indonésia trabalharão em “Cooperação para o Desenvolvimento” de uma das ilhas do território indonésio, a ilha de Morotai. Ela tem cerca de 50 mil habitantes e atualmente é explorada para o turismo ecológico.

O Governo indonésio pretende tornar a ilha uma plataforma econômica e centro de captação de investimento estrangeiro, por isso, o planejamento geral e a construção da infra-estrutura para alcançar tal objetivo será realizado em cooperação entre ambos os países.

NOTAS ANALÍTICAS

Membros do BRICS apoiam a causa da palestina

Os países-membros do BRICS (“Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul”) votarão na “Organização das Nações Unidas” (ONU) a favor da criação doEstado da Palestina” e agora com apoio de outra potência do “Conselho de Segurança das Nações Unidas” (“CS da ONU”): a França.

O ministro francês de Relações Exteriores, Laurent Fabius, afirmou no Parlamento de seu país que a França votará a favor dos palestinos. Observadores apontam que com esta decisão, a França e os demais países que votarão favoravelmente aos palestinos provavelmente darão um “passo para trás” em suas relações com Israel.

NOTAS ANALÍTICAS

Iniciada a corrida pelo poder no Japão e Coréia do Sul

Após a mudança de poder na China, começam agora as discussões sobre os possíveis novos líderes do Japão e da Coreia do Sul”. No Japão, o atual primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, acredita que os debates eleitorais serão focados no tema da Energia Nuclear, da qual a população japonesa deseja tornar-se livre. As eleições serão realizadas no mês de dezembro e a opinião pública favorável será fundamental para que o novo líder tenha prosperidade no governo.