AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Facilitação da entrada de mão de obra estrangeira: o que quer o Brasil

No dia 17 de maio, o Ministério do Trabalho e Emprego” (MTE) publicou, no “Diário Oficial da União”, duas Normativas que se referem ao desenvolvimento de novas regulamentações do trabalho de estrangeiros no País. A “Normativa nº 103” regulamenta a execução de estágios acadêmicos para estudantes de nível superior de outros países, enquanto a “Normativa nº 104” estabelece novas regras para a regulamentação de trabalhos de mão de obra estrangeira direta para empresas brasileiras[1].

Através destas Normativas, o MTE foca a facilitação e desburocratização da vinda de trabalhadores estrangeiros para trabalharem no Brasil. Segundo o ministro Manoel Dias, as regras visam “possibilitar a redução dos prazos de concessão de vistos e, em conjunto com o envio de procedimentos pela internet, poderá reduzir em até dos terços o prazo atualmente praticado para emissão de vistos de trabalho[2].

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

A concentração da Importação de empresas brasileiras: o crescimento das pequenas operações

Na última semana, o “Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas” (SEBRAE)  lançou um aplicativo de fácil acesso para celulares e computadores que serve como um simulado de Importações. O principal foco é auxiliar empresas e pessoas físicas a calcularem a estimativa de lucro, custo da compra e impostos de importação[1].

ECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Tendências da terciarização da economia global: principais setores de “Investimento Estrangeiro Direto”

Nos últimos anos, as tendências de “Investimento Estrangeiro Direto” (IED) têm possibilitado uma análise mais aprofundada de mudanças na economia global. Isso decorre do fato de que o IED representa um aporte financeiro, físico e organizacional das empresas multinacionais em criar, aumentar ou desenvolver sua estrutura produtiva nos países que o recebem. Desta forma, aqueles setores que têm tido uma participação maior no volume de IED representam as apostas destas empresas para um futuro de médio e longo prazo.

Segundo o “Relatório de Investimento Estrangeiro Direto 2013” (fDi Report 2013)[1], produzido pelo grupo inglês “Financial Times”, que é um dos principais termômetros atuais de IED, há uma tendência de terciarização* da economia global, o que significa afirmar que o volume de investimentos passa agora a se concentrar na área de serviços, destacando-se que nos últimos cinco anos ele tinha se concentrado na formatação de plataformas industriais em diversos países.

América do NorteECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Efeitos econômicos das atividades de busca pelos suspeitos dos “Atentados da Maratona de Boston”

Após os atentados a bomba durante a “Maratona de Boston”, autoridades municipais, estaduais e federais iniciaram as investigações a respeito dos prováveis responsáveis. Os atentados, realizados durante a tarde de segunda-feira, dia 15 de abril, consistiram na explosão de duas bombas caseiras na linha de chegada da tradicional Maratona da cidade. No momento, corredores, turistas e moradores estavam reunidos no local e, até agora, foram contabilizadas quatro mortes e mais de 110 feridos.

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Brasil fecha 2012 com “Investimento Estrangeiro Direto” próximo do recorde histórico

No ano de 2012, o Brasil continuou como um dos grandes destinos de atração de “Investimento Estrangeiro Direto” (IED)*, efeito que vem sendo notado desde a metade da década de 2000. Segundo o “Banco Central Brasileiro”, apenas no ano passado, o total investido no Brasil por empresas estrangeiras ou brasileiras com atividades em outros países foi de US$ 65.3 bilhões.