ANÁLISES DE CONJUNTURAEUROPA

A renúncia de Bento XVI

Bento XVI (265º Papa)Bento XVI (265º Papa)A renúncia (abdicação) do Papa Bento XVI, anunciada na segunda-feira, dia 11 de fevereiro**, tomou o mundo de surpresa, pela circunstância gerada e pelo fato de não ocorrer uma situação similar há, aproximadamente, seis séculos, considerada a abdicação “forçada” e estratégica de Gregório XII, em 1415, para garantir o encerramento do “Cisma do Ocidente[1].

Bento XVI discursou afirmando não ter mais forças, “devido à idade avançada[2] [3], para dar continuidade a sua missão como condutor da Igreja, embora tenha deixado implícito que não renunciará a sua tarefa de pensar a doutrina cristã, uma vez que manterá em seu retiro a reflexão sobre os valores da Igreja, mesmo que tenha dito que terá uma vida dedicada à oração.

AMÉRICA LATINAANÁLISES DE CONJUNTURA

Faltando 10 dias, pesquisas indicam que Rafael Correa deve ser reeleito no primeiro turno

Rafael Correa, Presidente do EquadorRafael Correa, Presidente do EquadorAs “Eleições Presidenciais” equatorianas terão o seu primeiro turno no dia 17 de fevereiro próximo e, de acordo com as pesquisas de intenção de voto registradas pelos mais variados institutos no país, o atual Presidente deverá ser reeleito já neste momento da concorrência eleitoral, pois os índices apresentados indicam que ele detém entre 40% e 63%[1] das intenções de voto, variando este resultado de instituto para instituto que fez a pesquisa.

Deve-se destacar que, apesar de haver esta grande diferença entre os Institutos, em todos consta ainda que a diferença entre o Correa e seu segundo colocado se mantém acima da margem dos 30%, levando a que a somatória de todos os demais seis candidatos* não alcance pontuação suficiente para superá-lo. A expectativa dos opositores concorrentes está no fato de também ter sido registrado um índice próximo dos 31% de indecisos[6].  Ou seja, sendo confirmados tais números no pleito, o atual Presidente, Rafael Correa, se reelegerá com folga no “Primeiro Turno” eleitoral, exceto se ocorrer um acidente neste curto percurso final, estando dentro dos improváveis acidentes que todos os indecisos (31%) migrem para um dos candidatos na disputa.

Com esta larga margem e quase certeza da vitória, Correa pediu licença[2] do cargo presidencial para se dedicar à Eleição, uma vez que deseja auxiliar nas campanhas eleitorais para o Legislativo, pois também estão em disputa os cargos de Vice-Presidente, 137 cadeiras de deputados e cinco parlamentares andinos para os anos de 2013 até 2017. O Mandatário sabe da necessidade de garantir maioria no Parlamento, já que este está paralisado há 14 meses graças aos debates e desacordos em torno do “Código Penal” e da “Lei de Comunicação“.

AMÉRICA DO NORTEANÁLISES DE CONJUNTURA

A posse de Barack Obama

Na segunda-feira, dia 21 de janeiro de 2013, Barack Obama, o Presidente reeleito dos EUA, discursou perante a multidão em um dos atos do conjunto de eventos que representa a tomada de posse para seu segundo mandato consecutivo na Presidência do país. A investidura oficial correu no dia 20, domingo, à tarde, em cerimônia nas dependências da “Casa Branca[1], quando fez o juramento conforme exige a Constituição.

A multidão, de aproximadamente 600 mil pessoas, acompanhou o discurso público posse [2] com manifestações de apoio ao novo mandato e exigências de que ele cumpra suas promessas de campanha, agora que dará continuidade ao cargo presidencial tendo diante si um cenário menos tempestuoso na economia, embora o país ainda esteja em processo de saída da crise pela qual passa.

De acordo com especialistas, esta condição está configurada no fato de que, embora tenha ocorrido a queda da taxa de desemprego de 10% para, aproximadamente, 7,8%, os problemas ainda continuam e o número ainda é excessivamente alto para os padrões norte-americanos, bem como significativamente negativo para manter a dinâmica da sua economia, a qual, pela estrutura e configuração, sente fortemente a existência de uma taxa de desemprego tão elevada para o seu modelo.

ANÁLISES DE CONJUNTURAORGANIZAÇÃO INTERNACIONALORIENTE MÉDIO

Conforme era esperado, encontro da AIEA com Irã encerra sem resultados

Quarta-feira, dia 16 de janeiro, começou a nova visita de 24 horas da “Agência Internacional de Energia Atômica” (AIEA) – órgão da “Organização das Nações Unidas” (ONU) – ao Irã para tratar do seu “Programa Nuclear”.

A Agência busca um Acordo há mais de um ano, porém sem sucessos, já que os encontros anteriores não progrediram devido à recusa de Teerã em abrir as “Usinas Nucleares”, ou “Bases Militares” sob suspeita, para inspeções dos delegados enviados pela Agência.

Ao embarcarem na terça-feira para Teerã, o vice-diretor geral da AIEA, Herman Nackaerts, declarou a expectativa de que poderia ser trabalhado um “Acordo Estrutural” com o país nas negociações que fariam, pois cria na possibilidade de que as visitas em locais sensíveis seriam autorizadas.

AMÉRICA LATINAANÁLISES DE CONJUNTURA

Venezuela indecisa sobre seu futuro

Nicolás Maduro - Vice-Presidente da VenezuelaNicolás Maduro - Vice-Presidente da VenezuelaFaltando dez dias para que o presidente Hugo Chávez seja reempossado no cargo de “Presidente da República Bolivariana da Venezuela”, a indecisão e insegurança perpassa na sociedade venezuelana. Ontem, dia 1o de janeiro, o jornal espanhol ABC* informou que a situação do mandatário encontra-se em pior estado do que vem sendo divulgado pelos canais oficiais, declarando que Hugo Chávez está em coma induzido, com febre constante e não reagindo aos antibióticos e vem sendo alimentado por meio intravenoso desde a cirurgia  que retirouquase meio metro de intestino[1]. O jornal informou ainda que as máquinas poderão ser desligadas causando a morte do mandatário[2].

NOTAS ANALÍTICAS

Apesar de anúncio positivo, negociações entre Irã e AIEA não apresentam progressos

Programa Nuclear IranianoPrograma Nuclear IranianoObservadores acreditam que o resultado da reunião ocorrida no dia 13 de dezembro passado representou apenas mais um ganho de tempo para o Governo iraniano, apesar do anúncio feito ontem, dia 20, quinta-feira, por fonte da “Agência Internacional de Energia Atômica” (AIEA), de que se chegou a um acordo preliminar entre a Agência e o Irã acerca de um plano estruturado” para tratar das inspeções das Usinas iranianas e negociação do “Programa Nuclear” do país,.