AMÉRICA DO NORTEEUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Tensões aumentam entre Rússia e EUA após derrubada do caça sírio

No penúltimo domingo, dia 18 de junho, novos acontecimentos na guerra na Síria abalaram a relação entre a Rússia e os Estados Unidos (EUA). Segundo relatado pelo Governo estadunidense, um caça norte-americano F/A -18E Super Honet abateu outro caça da Síria, um Sukhoi SU-22, na região de Raqqa, depois deste ter lançado fogo sobre os aliados dos norte-americanos, as Forças Democráticas Sírias. Conforme divulgado pela impressa, esta é a primeira vez desde maio de 1999 que os EUA derrubam um avião de combate tripulado das forças governamentais.

Logo após este acontecimento, no dia 19, a Rússia se posicionou contra a atitude dos norte-americanos acusando-os de “agressão militar” e, por conta do ocorrido, suspendeu um memorando de cooperação entre os países, que havia sido firmado em 20 de outubro de 2015. O denominado “Memorando de Entendimento” tinha por objetivo evitar futuros incidentes no espaço aéreo da Síria. Com este acordo a Rússia passou a utilizar seus sistemas de defesa aéreo para rastrear os “voos de aeronaves da coalizão liderada pelos EUA na Síria”.

Emblema do Ministério da Defesa da Rússia

Dado isso, o Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, descreveu a ação do governo de Donald Trump, Presidente dos EUA, como uma “violação grosseira da soberania da Síria” além de ser considerado uma infração às leis internacionais. Para evitar um novo episódio como este, o Governo russo declarou que qualquer avião norte-americano que sobrevoar a região oeste da Síria, onde se localiza o rio Eufrates, será considerado um alvo seguido com sistemas antimísseis.

A tensa relação desses países preocupa os analistas internacionais que veem a necessidade de Washington e Moscou resolverem suas querelas, porém, Trump ainda não deu evidencias de tratar o assunto com diplomacia. Além disso, conforme pontuou o professor e especialista em questões nucleares, Peter Kuznick, ao Diário de Notícias (DN), Vladimir Putin cansou de esperar por relações mais amigáveis com Trump.

O especialista deixa claro que o perigo de uma guerra entre EUA e Rússia existe e é assustador, mas, devido a imprevisibilidade de Donald Trump, é difícil ter ideia dos seus próximos passos.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Anverso do Grande Selo dos Estados Unidos” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Rela%C3%A7%C3%B5es_entre_Estados_Unidos_e_R%C3%BAssia#/media/File:Great_Seal_of_the_United_States_(obverse).svg

Imagem 2Emblema do Ministério da Defesa da Rússia” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Minist%C3%A9rio_da_Defesa_da_Federa%C3%A7%C3%A3o_Russa#/media/File:Medium_emblem_of_the_Ministry_of_Defence_of_the_Russian_Federation_(21.07.2003-present).svg

About author

Graduada em Relações Internacionais (2014) pela Universidade da Amazônia – PA e profissionalmente atua com gestão de empresas. Áreas de interesse em pesquisa são em Marketing e mídias Internacionais, Conflitos bélicos e étnicos de interesse internacional, dentre outros.
Related posts
ÁFRICAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Oleoduto entre Angola e Zâmbia

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Conselho de Direitos Humanos da ONU discute projeto de Tratado sobre a Responsabilidade de empresas e Estados pelo respeito aos Direitos Humanos

NOTAS ANALÍTICASTecnologia

Laboratório da Samsung na Rússia na vanguarda dos “deepfake”

EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Extinction Rebellion toma conta das ruas de Londres, em protesto pelo clima

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá!
Powered by