fbpx
ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Turquia manda recado à UE de que não esperará mais 50 anos para entrar no Bloco

Após um encontro com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) em Lisboa, a embaixadora turca em Portugal, Ebu Gökdenizler, mandou recado à União Europeia (UE), declarando que a Turquia tem “sido o mais paciente candidato a membro da União Europeia, estamos à espera há mais de 50 anos. É um objetivo estratégico para nós, mas, claro, não esperaremos outros 50 anos[1].

A declaração da embaixadora foi considerada por analistas como um recado de que a Turquia passará a focar a ampliação de seu leque de parceiros e associações. Neste momento, o país tem estatuto de observador associado à CPLP e a embaixadora afirmou que a “CPLP era o elo que faltava[1], enumerando a vasta lista de organizações internacionais das quais a Turquia já faz parte.

Os turcos estão apostando no que chamam de  “política externa multidimensional”, tentado ampliar “as relações para geografias menos tradicionais”. Como exemplo, Gökdenizler destaca que a África é um exemplo disso: “o número de embaixadas que a Turquia tinha no continente aumentou, na última década, de 12 para 34 (duas das quais em países lusófonos, Angola e Moçambique)[1].

A embaixadora afirmou ainda que deverá ampliar a oferta de ensino da língua portuguesa em Istambul, pois considera que o conhecimento do português é uma ferramenta importante na cooperação.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 wikipedia

—————————————————————————

Fonte Consultada:

[1] Ver:

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=767215&tm=7&layout=121&visual=49

About author

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!