EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Ucrânia passará por um novo corte de gás da Rússia

No último domingo (15 de junho), as negociações entre a Federação Russa e a Ucrânia, com a participação do Comissário para a Energia da União Europeia (UE), não obteve um resultado positivo na tentativa de solucionar a questão da dívida ucraniana em relação à compra do gás russo, assim como a renegociação de seu preço.

Em resposta, a estatal russa Gazprom anunciou através de um comunicado à imprensa[1] a alteração de sua relação com a Ucrânia, implementando um sistema “pré-pago”*. O anúncio fora feito na segunda-feira, dia 16 de junho, às 10h, momento no qual tinha fim o prazo para o Governo ucraniano sanar parte da dívida, no valor aproximado de 2 bilhões de dólares[2], que mantém com a empresa estatal russa.

Alexey Miller, Vice-Ministro da Energia russo e CEO da Gazprom, declarou que as próximas remessas de gás para a Ucrânia, já no sistema “pré-pago”, só ocorrerão após o pagamento total da dívida, de cerca de 4,5 bilhões de dólares[3].

Em tom crítico, o Primeiro-Ministro ucraniano, Arseniy Yatsenyuk, afirmou categoricamente que tal ação consiste em mais uma tentativa da Rússia em “destruir” a Ucrânia. Para Yatsenyuk, “os ucranianos não irão tirar 5 bilhões de dólares por ano de seus bolsos, a fim de que a Rússia possa se utilizar deste dinheiro para comprar armas, tanques e aviões, para atacar o território ucraniano com isto[3].

—————————————————

* Ou seja, o gás russo só será liberado mediante pagamento prévio.

—————————————————

Imagem (Fonte):

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d7/Major_russian_gas_pipelines_to_europe.png

—————————————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.gazprom.com/press/news/2014/june/article193462/

[2] Ver:

http://euobserver.com/foreign/124612

[3] Ver:

http://www.theguardian.com/world/2014/jun/16/russia-cuts-off-gas-supply-ukraine

About author

Mestrando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (Usp); Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Puc-SP). Colaborador do Núcleo de Análise da Conjuntura Internacional (NACI) e do Núcleo de Estudos de Política, História e Cultura (Polithicult). Experiência profissional como consultor de negócios internacionais. Atua nas áreas de Política Internacional, Integração Europeia, Negócios Internacionais e Segurança Internacional. No CEIRI NEWSPAPER é o Coordenador do Grupo Europa.
Related posts
AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

AMÉRICA LATINAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Colômbia inaugura maior túnel latino-americano

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!