fbpx
NOTAS ANALÍTICASSociedade Internacional

Um ano do ataque no Shopping Westgate

Há um ano, no dia 21 de agosto de 2013, quatro homens armados da Milícia al-Shabaab invadiram o Shopping Westgate, na capital queniana, Nairobi, matando 67 pessoas e espalhando o medo em centenas que estavam no local[1]. A ação seria resultado de uma vingança contra as operações militares dos quenianos na Somália. Após esses doze meses, há ainda muitas perguntas sem respostas e a inexistência de uma estratégia coerente para fortalecer a segurança do país.

Desde o ataque, a sensação de segurança no Quênia tem caído. Várias ações com granadas e outras realizadas por homens armados do grupo al-Shabaab tem ocorrido na capital e na costa queniana, fato que tem alimentado o medo nas pessoas[1]. Muitas famílias passam por traumas, como ferimentos, limitações físicas, desequilíbrio emocional e falecimentos de entes queridos[2].

Recentemente, o líder do grupo terrorista al-Shabaab foi morto, fato que trouxe medo à população e alerta para as autoridades, tendo em vista a possibilidade de represália e a proximidade com o triste aniversário de 1 ano da Tragédia de Westgate. Para isso, o inspetor geral da polícia David Kimaiyo anunciou um reforço no número de policiais em rotas estratégicas, de forma a conter qualquer tentativa de atentado à população queniana[3].

Para os pesquisadores Jeremy Lind e Patrick Mutahi, uma resposta estratégica contra a insegurança deve atravessar uma ferida delicada: os desafios internos do país, ao invés da luta contra ameaças externas. Sendo assim, questões como reforma agrária, acumulação de riquezas, direitos das minorias e proteção aos jovens ganham fôlego, diante da desigualdade de renda, dos problemas sociais e étnicos enfrentados na fronteira com a Somália e nos dilemas evidenciados pelos migrantes[4].

—————————————————————————-

Imagem (Fonte)

http://gdb.voanews.com/365A46AF-41CF-4287-AA6F-602061A7745D_cx0_cy2_cw0_mw1024_s_n_r1.jpg

—————————————————————————-

Fontes Consultadas:

[1] Ver All Africa”:

http://allafrica.com/stories/201409200004.html

[2] Ver All Africa”:

http://allafrica.com/stories/201409190897.html

Ver também:

http://allafrica.com/stories/201409191683.html

Ver também:

http://allafrica.com/stories/201409190897.html

[3] Ver All Africa”:

http://allafrica.com/stories/201409200316.html

[4] Ver All Africa”:

http://allafrica.com/stories/201409191273.html

About author

Mestre em Ciência Política na Universidade Federal de Pernambuco e graduado em Relações Internacionais na Universidade Estadual da Paraíba. Tem experiência como Pesquisador no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) no projeto da Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi). Foi representante brasileiro no Capacity-Building Programme on Learning South-South Cooperation oferecido pelo think-tank Research and Information System for Developing Countries (RIS), na Índia; digital advocate no World Humanitarian Summit; e voluntário online do Programa de Voluntariado das Nações Unidas (UNV) no projeto "Desarrollar contenido de opinión en redes sociales sobre los ODS". Atualmente, mestrando em Development Evaluation and Management na Universidade da Antuérpia (Bélgica) e Embaixador Online do UNV na Plataforma socialprotection.org.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!