fbpx
ESPORTENOTAS ANALÍTICAS

Um balanço econômico do Brasil face à Copa do Mundo de 2014

Faltando 65 dias para o início da “Copa do Mundo 2014”, ainda restam inúmeras dúvidas acerca do sucesso do megaevento e mesmo o índice de aprovação da “Copa 2014” perante os brasileiros tem, segundo diversas pesquisas, despencado bastante nos últimos meses, ainda mais quando a percepção da população é a de que o chamado legado da Copa será bastante inferior ao inicialmente apregoado pelo Governo brasileiro.

No que tange ao balanço econômico relacionado ao megaevento, contudo, alguns números despertam a atenção de vários analistas, os quais acreditam que os impactos gerados na economia brasileira por conta da realização da Copa serão bastante importantes e positivos, especialmente para a indústria do turismo, setor este em que o Brasil é considerado o 6º no mundo em “Economia do Turismo”, segundo o “Conselho Mundial de Viagens e Turismo” (WTTC, no Inglês) em seu estudo anual “Viagens e Turismo: Impacto Econômico”, que abrange 184 países.

A se destacar que, pelo estudo realizado pela “Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas” (FIPE) sobre o impacto econômico gerado pela “Copa das Confederações de 2013” (evento teste e preparatório para a “Copa do Mundo de 2014”), o torneio propiciou um movimento financeiro de R$20,7 bilhões, dos quais R$11 bilhões foram referentes a gastos de turistas, a gastos do “Comitê Organizador Local” (COL) e  a investimentos privados e públicos.

Quanto ao restante do montante movimentado, R$9,7 bilhões, este foi contabilizado como renda acrescida ao PIB do país. Esta pesquisa, que teve os resultados divulgados em 7 de abril de 2014 pelo “Ministério do Turismo”, serve para revelar a movimentação financeira no período considerado, o reflexo desta no PIB e na geração de empregos e para auxiliar na previsão de cenários para a “Copa do Mundo”.

Ainda segundo o estudo supramencionado – que analisou os impactos diretos, indiretos e induzidos na economia brasileira durante o período de preparação para a “Copa das Confederações de 2013” –, as estimativas para a “Copa do Mundo de 2014” são de que esta gere um incremento de renda no PIB da ordem de R$30 bilhões. No que tange à distribuição do montante de renda acrescido ao PIB por ocasião da “Copa das Confederações”, 58% do total destinou-se às cidades-sede do torneio (Fortaleza, Salvador, Recife, Brasília, Belo Horizonte” e “Rio de Janeiro”) e os restantes 42% espalharam-se pelo restante do país, segundo aponta o estudo da FIPE. Em adição, o estudo mediu o impacto do evento na geração de empregos, tendo apontado para a criação de 303 mil vagas, sendo 60% nas cidades-sede anteriormente mencionadas e 40% no resto do país. Cumpre registrar, aqui, o destaque para cidade do “Rio de Janeiro”, a qual apresentou a maior geração de empregos e o maior acréscimo de renda no PIB, ou seja, 59 mil e R$2,8 bilhões, respectivamente.

No que concerne especificamente à “Copa do Mundo de 2014” e à criação de novos postos de trabalho, tendo por base a estimativa da Embratur, que prevê um fluxo de 3,6 milhões de turistas no Brasil durante a Copa, a “Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo” (CNC), em pesquisa elaborada no mês de abril do corrente ano, projeta a geração de 47,9 mil novas vagas de emprego no setor de turismo entre os meses de abril a junho de 2014, das quais 16,1 mil vagas estarão localizadas no segmento de serviços de alimentação, o principal segmento turístico. Em segundo lugar viriam os serviços de transporte de passageiros, concentrando cerca de 14 mil novos empregos, e, em terceiro lugar, estariam hotéis, pousadas e similares, ofertando 12,3 mil novas vagas. Juntos, estes três segmentos responderiam por 88,4% do total das novas vagas a serem criadas.

Assim, em uma sumária exposição, este seria um breve balanço da economia brasileira face à “Copa do Mundo de 2014”, incluindo-se nesta análise o período e os preparativos para a “Copa das Confederações de 2013”.          

——————————

ImagemBrasil e Economia na Copa do Mundo” (Fonte):

http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/505552-as-implicacoes-sociais-da-copa-do-mundo-entrevista-com-roberto-morales

——————————

Fontes consultadas:

Ver:

http://www.cnc.org.br/noticias/copa-do-mundo-devera-gerar-479-mil-vagas-no-turismo-estima-cnc-0

Ver:

http://www.copa2014.gov.br/pt-br/noticia/copa-das-confederacoes-rendeu-r-97-bilhoes-ao-pib-brasileiro

Ver:

http://www.copa2014.gov.br/pt-br/noticia/brasil-e-o-6deg-no-mundo-em-economia-do-turismo-e-tem-a-maior-projecao-de-crescimento

About author

Mestre em Relações Internacionais pela UERJ, Especialista em História das Relações Internacionais e Bacharel em Ciências Econômicas pela UFRJ. Possui experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Política Internacional e Formação Econômica Brasileira. Foi bolsista de FAPERJ por um ano e Bolsista de Vocação para Diplomacia do Instituto Rio Branco (IRBr) por 4 (quatro) anos. Áreas de interesse: Esporte e Relações Internacionais; Diplomacia Futebolística; e Soft Power e Política Externa.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!