EUROPANOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

União Europeia e Jordânia: uma parceria estratégica no Oriente Médio

Em 13 de junho de 2017 foi finalizado o Relatório sobre as relações entre União Europeia (UE) e Jordânia. O documento aborda o período de 2015 a 2017 e traz ampla visão do estado da arte do alinhamento estratégico entre ambos nos temas chaves da sua pauta bilateral. Esta relação encapsula uma importante aliança, cujos primórdios remontam ao Acordo de Associação firmado entre eles em 2002.

O Relatório foi lançando no contexto das preparações para a 12ª reunião do Conselho do Acordo de Associação Euro-Jordaniano, prevista para ser realizada no próximo dia 10 de julho na cidade de Bruxelas. Em 2017, o referido acordo bilateral completa 15 anos e teve como uma das principais vias de operacionalização a iniciativa conhecida como Política de Vizinhança Europeia (PVE), da qual a Jordânia faz parte desde 2004.

Mapa da Jordânia

Historicamente, a cooperação entre esses dois atores tem uma pauta bem abrangente, com foco na segurança regional e no suporte econômico da UE à Jordânia. Em 2010, as partes firmaram um novo plano de ação no âmbito da PVE que reconheceu o status avançado do diálogo bilateral, sendo a Jordânia o primeiro país da esfera mediterrânea a alcançar este reconhecimento no âmbito daquela iniciativa.

O documento recém-lançado evidencia como a atual pauta de cooperação foi se moldando, ao longo dos últimos dois anos, para contrabalancear os impactos da Guerra na Síria sobre o Oriente Médio. No escopo da PVE, por exemplo, foram firmados acordos mais específicos para permitir respostas rápidas e precisas nas seguintes temáticas: i. segurança e estabilização regional (com foco em atividades de contraterrorismo); ii. ações de macroeconomia (para fomento ao desenvolvimento econômico da Jordânia); iii. promoção de reformas democráticas e dos direitos humanos.

Bandeira da Jordânia

Ao longo do biênio analisado, a União Europeia investiu em torno de 1,3 bilhão de euros na Jordânia, em áreas como assistência humanitária, estabilização financeira, segurança e estabilidade regional, assistência educacional e apoio aos impactos da crise na Síria (Fundo Madad).

Desde que a crise de refugiados vinculada à Guerra na Síria ganhou força, em 2015, a Jordânia tem desempenhado um importante papel para a estabilização do Oriente Médio por meio da recepção de refugiados sírios – atualmente são 658 mil registrados*, montante equivalente a 10% da população jordaniana – e combate ao terrorismo (incluindo liberação de uso de seu espaço aéreo e bases militares por países europeus** e seus aliados).

———————————————————————————————–

Notas:

* Além dos mais de 2 milhões de refugiados palestinos e mais de 50 mil iraquianos.

** Como o recente anúncio da transferência da base alemã sediada na Turquia para a Jordânia.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Mapa do Oriente Médio” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Middle_East#/media/File:Middle_east.jpg

Imagem 2 Mapa da Jordânia” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/Jordan#/media/File:Jordan_-_Location_Map_(2013)_-_JOR_-_UNOCHA.svg

Imagem 3 Bandeira da Jordânia” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jord%C3%A2nia#/media/File:Flag_of_Jordan.svg

About author

Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e mestre em Política Internacional e Comparada pela Universidade de Brasília (UnB). Possui experiência acadêmica nas áreas de governança internacional, estudos europeus e regimes internacionais. Atualmente é Analista de Relações Internacional na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com atuação nas áreas de articulação, desenvolvimento e cooperação internacional. Principais ramos de atuação: Relações Internacionais, Políticas Globais, Europa, Cooperação Técnica e Cooperação Científica.
Related posts
Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

Reunião de Alto Nível sobre os direitos da mulher é realizada durante a Assembleia Geral da ONU

AMÉRICA LATINANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Evo Morales e Rafael Correa fora das eleições na Bolívia e no Equador

NOTAS ANALÍTICASORIENTE MÉDIOPOLÍTICA INTERNACIONAL

Repressão à greve de professores aumenta preocupação com repressão na Jordânia

ÁSIACOOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

China promete fornecer mais tropas para as operações de paz das Nações Unidas

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!