EUROPANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

União Europeia: Intolerância e xenofobia versus integração e inserção

Nos últimos anos a União Europeia foi testemunha da eclosão de uma série de processos sociais e culturais que são frutos da tensão acumulada ao longo do tempo e que foram negligenciados pelo Bloco, bem como sepultados pelos discursos de integração. A radicalização da sociedade é o pior reflexo dessa negligência, gerando uma divisão da mesma e dando espaço para o surgimento de movimentos extremistas ou a adesão de vários jovens europeus a causas fundamentalistas, tais como o Estado Islâmico (EI).

Mesmo que esteja presente desde a sua fundação, a multiculturalidade da União Europeia não levou em consideração a própria formação demográfica dos países membros e os efeitos da ampliação do Bloco, assim como outros processos humanos, tais como a migração e a mobilidade internacional.

Policiais franceses obrigam mulher a tirar seu véu na praia

Atualmente, a região é um mosaico de culturas, povos, etnias e religiões, com fortes avanços em algumas áreas e grandes retrocessos em outras, principalmente no que tange as minorias.

Se por um lado a Alemanha aprovou o casamento LGBT, por outro, países como a França proíbem o uso de algumas das vestimentas típicas da cultura islâmica (ainda que o país possua uma considerável comunidade muçulmana). No entanto, o atrito entre culturas não afeta somente a convivência na União Europeia, mas também se reflete em setores cuja principal característica é justamente essa confluência de pessoas diferentes e o turismo é um deles. A turismofobia é crescente em cidades com um elevado fluxo de turistas. Cidades como Barcelona, cujo turismo representa mais de 15% do PIB e recebe mais de 11 milhões de turistas ao ano, consideram paradoxalmente que a atividade turística é um dos seus principais problemas. A inflação dos preços é um dos essenciais motivos para esse repúdio crescente, mas também a vinda de turistas não tradicionais como indianos, russos e até mesmo cidadãos de outros países da União, que são acusados de deteriorar o patrimônio público e afetam a rotina da cidade.

Manifestações contra os turistas em Barcelona

A sociedade europeia, talvez pelo fato de ser testemunha de diversos processos sociais e centro de mudanças e revoluções importantes, é uma das regiões do mundo onde se refletem as principiais questões globais, desde os benefícios do processo de globalização como também dos paradigmas mundiais. E mesmo com um discurso de construção de uma identidade europeia desde a concepção do Tratado de Roma, observa-se que, na prática, ainda existem pontos conflitivos e que alguns casos chegam a evidenciar essa multipolaridade cultural, como atualmente o fez o processo de cisão entre o Reino Unido e a União Europeia (Brexit), sendo um dos principais argumentos a situação da migração interna. A mesma situação se dá também em outros países da União que recebem migrantes de nações do Bloco.

No caso das minorias, todo avanço ou recesso é potencializado pelos holofotes da mídia e rapidamente ganha as redes sociais, porém não existe um movimento da própria União Europeia de analisar esses processos como parte integrante de uma contínua mudança pela qual ela passa e que, sem dúvidas, irá refletir na criação de uma identidade europeia.

Da mesma forma que a microeconomia reflete processos macroeconômicos e vice-versa, tal vez seja interessante tomar esse exemplo como parâmetro e analisar como as mudanças em pequenos grupos impactam em toda a sociedade, seja para aumentar a equidade e igualdade, seja para gerar maiores cisões.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Espaço Schegem” (Fonte):

https://urbanismoguerra.files.wordpress.com/2015/09/rotas_migratorias_europa.jpg

Imagem 2Policiais franceses obrigam mulher a tirar seu véu na praia” (Fonte):

http://mercadopopular.org/wp-content/uploads/2016/08/mundo-franca-praia-mulher-vestida-burca-policia-20160825-01.jpg

Imagem 3Manifestações contra os turistas em Barcelona” (Fonte):

https://static.hosteltur.com/web/uploads_c/2016/04/B_1a8a090c67464a4cef512393faab7b42.jpg

About author

Atuou como consultor internacional na área de Paradiplomacia para o Escritório Exterior de Comércio e Investimentos do Governo da Catalunha. Formado em Negociações e Marketing Internacional pelo Centro de Promoção Econômica de Barcelona, Bacharel em Administração pela Universidade Católica de Brasília, especialista pós-graduado em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP, MBA em Novas Parcerias Globais pelo Instituto Latinoamericano para o Desenvolvimento da Educação, Ciência e Cultura e mestrando em Polítcias Sociais em Migrações na Universidad de La Coruña (España). Fundador do thinktank NEMRI – Núcleo de Estudos Multidisciplinar das Relações Internacionais. Especialista em paradiplomacia, acordos de cooperação e transferência acadêmica e tecnológica, smartcities e desenvolvimento econômico e social. Morou na Espanha, Itália, França e Suíça.
Related posts
NOTAS ANALÍTICASSegurança Internacional

Soldado embriagado na República Democrática do Congo mata 12 civis

Direito InternacionalNOTAS ANALÍTICAS

ONU relata violação aos Direitos Humanos em áreas de Mineração na Venezuela

COOPERAÇÃO INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICASORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

“Ágil, Eficiente e Responsável”: a nova fórmula para a FAO

ÁFRICANOTAS ANALÍTICASPOLÍTICA INTERNACIONAL

Primeira-Ministra do Gabão: novidade histórica

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!
Powered by