fbpx

O presidente chinês Xi Jinping concluiu suas visitas de Estado aos países da “América Latina” e “América do Norte”. A autoridade chinesa visitou “Trinidad e Tobago”, “Costa Rica”, México e encerrou sua viagem nos “Estados Unidos”.

Durante a visita ao continente americano, o Presidente, acompanhado de uma delegação composta por empresários e autoridades governamentais, fomentou acordos culturais e econômicos e reforçou os laços diplomáticos com estes Estados. Ele afirmou que a “América Latina” está em uma “era de ouro[1], devido ao nível de desenvolvimento apresentado pelos países da região.

Declarou: “A vinculação entre China e a região se encontra atualmente em uma importante etapa conjuntural de desenvolvimento acelerado. Queremos contar com uma visão de conjunto e de longo alcance, e avançar para consolidar a amizade regional e melhorar o nível de cooperação[1].

Nos “Estados Unidos”, definiu-se que as empresas chinesas ganharão mais espaço para investir. O aumento do investimento de empresas da China na “América do Sul” e “América Central” desperta o interesse norte-americano, que vê o seu crescimento e estímulo e considera o acontecimento como um fenômeno contemporâneo importante para a economia mundial e regional.

Porém, a entrada de investimento chinês no “Estados Unidos”, tal qual vem se dando no espaço latino-americano, ainda depende de boas relações macroeconômicas entre os dois países, uma vez que ambos competem em mercados similares em outras regiões do globo e existe o incentivo de Washington para o consumo interno de produtos que sejam fabricados por empresas nacionais estadunidenses.

————————–

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://noticias.terra.com.br/mundo/america-latina/xi-jinping-diz-que-alatina-esta-em-nova-era-do-ouro-de-desenvolvimento,e06dc4179831f310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

————————–

Ver também:

http://espanol.cntv.cn/program/Noticiario/20130610/102836.shtml

Ver também:

http://www.globaltimes.cn/content/787990.shtml#.UbajK-fVCSo

About author

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. É membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence. Atualmente trabalha como repórter fotográfico.
Related posts
ÁSIAECONOMIA INTERNACIONALNOTAS ANALÍTICAS

Fundo Monetário Internacional estima crescimento da economia chinesa em quase 2%, contrariando tendência mundial

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Conselho Europeu se reúne para tratar de ação conjunta europeia para combater a COVID-19

NOTAS ANALÍTICASPARADIPLOMACIA

As cidades mais caras da América Latina

NOTAS ANALÍTICASPOLÍTICAS PÚBLICASSAÚDE

Resposta à COVID-19 nas Américas pode sofrer transformação a partir de novos testes rápidos

Receba nossa Newsletter

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá!